Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Estou ansioso pelo meu primeiro jogo no Girabola

Agusto Fernandes e João Francisco - 27 de Agosto, 2012

Foi em 1991, aos 10 anos de idade, que Nelson Sumbo Fonseca começou Gomito, a jogar futebol passando a integrar os infantis da FESA sob a direcção dos professores Kata e Mamadu.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Foi em 1991, aos 10 anos de idade, que Nelson Sumbo Fonseca começou Gomito, a jogar futebol passando a integrar os infantis da FESA sob a direcção dos professores Kata e Mamadu. Quando lá chegou, o rapaz do Morro Bento encontrou Júnior, Maló, Goliate, Londaca e Gaca como principais referências. “A vontade de jogar pela FESA era muito grande, mas sem a presença de um encarregado de educação era impossível ser inscrito. Por isso, tive de pressionar o meu pai a levar-me”, contou Gomito do Jornal dos Desportos.

Quando chegou à FESA, Gomito foi colocado na equipa B, que treinava duas vezes por semana, às terças e quintas-feiras, ao passo que a equipa principal treinava três vezes por semana, às segundas, quartas e sextas. “Para mim, era humilhante estar na equipa B, mas em apenas três dias convenci os treinadores e fui colocado na equipa A”, disse Gomito.

CAÇULINHAS DA BOLA
De início, jogou a lateral esquerdo, depois a trinco, a guarda-redes e, por fim, a ponta-de-lança.  Aos 12 anos, já nos Caçulinhas da Bola pelo mesmo clube, teve a primeira conquista, ao ganhar um torneio realizado pela escola Norberto de Castro de Viana. Nos Caçulinhas, o seu treinador foi o mesmo dos infantis. Aos 13 anos, Gomito ascendeu à categoria de juvenis. Neste escalão, jogou com Hélder, Mantorras (não o do Benfica), Júnior e Juju. Naquela altura, tinha a orientação técnica do professor Dias.

Durante as três épocas que disputou o Campeonato Provincial de Juvenis de Luanda, sem ganhar qualquer título. Nesse período, foi usado algumas vezes no meio campo, tarefa que sabe desempenhar muito bem. “Na FESA, tínhamos boas condições, começando por um ginásio, boa alimentação, receita de um nutricionista para ser usada em casa, acompanhamento directo de um elemento da comissão técnica de como era a nossa vida em casa e na escola, e assim por diante”, recordou com certa nostalgia.

DA FESA PARA O ASA
Ao atingir a idade de juniores, Gomito teve de se transferir para o ASA, porque na FESA esta categoria não competia no Provincial. Chegou ao ASA a convite de alguns amigos. “Fiz os testes e fui o único dos quatro elementos que foi aprovado”, disse. No grupo, orientado pelo mister Paulão e pelo finado Simão Bendinha, encontrou Adilson, Paizinho, Simão,  Bakala, Jamba, Defesa, Bangão,  Adi e Do Charme. “No meu primeiro jogo no Provincial como júnior, contra o Progresso do Sambizanga, no campo Mário Santiago, fui observado pelo mister Miller

Gomes, que na altura era o treinador da selecção nacional de sub-20 que ia disputar o apuramento para o CAN da categoria em 2011, e fui convocado para fazer parte da mesma”, recorda-se, como se fosse hoje o dia em que começou a dar nas vistas “No primeiro jogo em Luanda, no estádio dos Coqueiros, vencemos o Gabão por 2-0 e na segunda mão perdemos por 3-0”.

AFIRMAÇÃO
A primeira convocatória para a selecção nacional

Na sua primeira convocatória para a Selecção Nacional, conviveu com jogadores como Day Day, Paty, Miguel, Mano, Paizo, Medá, Neblú, Das FAA, Pirolito, Rómulo, Paulucho, Vado, Bió e Nelson. Nos dois primeiros jogos, Gomito foi suplente não utilizado. Na terceira partida como Júnior e com o mister Minhonha no comando técnico, Gomito recebeu a braçadeira de capitão. Em 2011, Gomito foi campeão provincial de Luanda e vice-campeão nacional pelo ASA, atrás dos 11 Bravos do Maquis, no campeonato realizado em Janeiro desse ano.

“Nesse campeonato nacional, fiz dois jogos como ponta-de-lança. No jogo contra o Pekandek de Malange, fiz um hack- trick, que nos deu a vitória por 3-2, e contra o Naval do Porto Amboim marquei um golo na vitória por 8-0”, disse. Em Fevereiro deste ano, Gomito mereceu a confiança do treinador José Dinis e foi “puxado” para os seniores, embora antes já tivesse o privilégio de treinar com a equipa principal, isso ainda em 2011. Assim, Gomito integrou a equipa que fez a pré-época na África do Sul, tendo participado em muitos dos dez jogos que ali efectuaram.

ÍDOLOS
Gomito tem como fonte de inspiração David Luís, central brasileiro do Chelsa. Também tem grande admiração por Piqué do Barcelona. A nível interno, gosta de ver jogar Kaly e Dani Massunguna, ambos do 1º de Agosto, e Bastos, do Petro de Luanda. “De início, não entendia o porquê do mister Paulão e Minhonha estarem sempre em cima de mim. Cheguei mesmo a pensar que eles não gostavam de mim e queriam desmoralizar-me para que abandonasse o clube”, confidenciou o jovem jogador.

“Hoje, reconheço que, se não fosse pela ‘dureza’ deles para comigo, não atingiria o nível que tenho, nem chegaria em que estou, por isso, estou muito agradecido”, acrescentou. “Não me considero realizado. Ainda é muito cedo. Mas quero aproveitar esta oportunidade para, publicamente, expressar os meus agradecimentos especiais aos dois treinadores e, de uma forma geral, a todos os responsáveis pelo futebol jovem do ASA, por tudo o que fizeram e certamente farão por mim”, concluiu.

PERGUNTAS & RESPOSTAS
Jornal dos Desportos:
Se dependesse de ti,
em que posição jogarias?
Gomito: Jogaria a trico ou ponta-de-lança. Tenho um bom poder de fintas e creio que dava num excelente avançado.

Sabemos que já terminou o ensino médio.
O pensa ser quando terminar os estudos?

Penso muito seriamente em ser jurista.

O que tem a dizer sobre o mister Dinis?
Por tudo o que conheço dele, é um excelente profissional. Gosta de qualidade, é exigente, mas acima de tudo gosta de dar oportunidades aos jovens. Você pode ver os frutos do seu trabalho na qualidade dos nossos jogadores. Por isso, estou à espera que ele me dê a oportunidade de realizar um dos meus primeiros sonhos: jogar no Girabola.

Falou de um dos primeiros sonhos. Que outros sonhos tem como jogador?
Sonho jogar ao lado do meu ídolo, o David Luís, ou no mínimo jogar nos mesmos palcos que ele, o que implica ter de jogar na Europa.

Tem o apoio de seus
familiares?

Tenho muito apoio deles, sobretudo do meu pai.

PERFIL

Nome completo: Nelson Sumbo Fonseca
Filiação: José Fonseca e de Delfina Antónia  Emília
Naturalidade e data de nascimento: Luanda, aos 10 de Junho de 1991
Estado civil: Solteiro
Quantos  irmãos tem: Oito
Altura: 1.78m
Calçado:  43
Peso: 68 kg
Tem namorada: “Tenho sim.”
Quantos filhos pensa ter: Quatro
Tabaco: Nunca
Prato preferido: Feijoada
Bebida: Sumo
Musica: Kuduro
Filmes: De acção
Camisola que joga: Nº: 21
Acredita em Deus:  “Sim. Porque sem ele nós não existiríamos”
Religião: IURD
Pais de sonho: Brasil
Cidade Angolana: Benguela
Defeito: Teimosia
Virtude: Honestidade
Clube do coração: ASA