Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Ex-atleta confiante na melhoria

Manuel Neto - 04 de Janeiro, 2014

Atacante encara com optimismo o futuro e acredita em dias melhores para a formao encarnada da capital

Fotografia: Jornal dos Desportos

O atacante Álvaro disse ontem ao Jornal dos Desportos, que apesar de dispensado do Benfica de Luanda, acredita em novos tempos na sua carreira desportiva.

O antigo artilheiro do Atlético do Namibe transferiu-se a meio da época finda para reforçar o ataque dos encarnados da capital, terminou o vínculo contatual, e não chegou a acordo para renovação do contrato para a época que se avizinha.

“Fui contratado apenas para seis meses e não fui chamado a renovar o contrato. Em princípio fiquei triste, porque a minha intenção era continuar a dar o meu máximo na equipa, depois de garantida a manutenção no Girabola”, lamentou.

Promete continuar manter a mesma dedicação ao clube que representar, embora magoado com a direcção do Benfica de Luanda. “Infelizmente não aconteceu, mas vou continuar a trabalhar duro e acredito em novos tempos para minha carreira”, adiantou.

Esfumado o sonho de continuar a jogar pelos encarnados, o atleta confessou que não esmoreceu, porque segundo conta já existem algumas equipas interessadas nos seus préstimos.

 “Existe algumas equipas interessadas no meu concurso, mas ainda temos de acertar alguns detalhes que favoreçam as partes. Só assim, vou estar em condições de me debruçar com maior propriedade a este respeito e sempre de cabeça erguida para o que vier a acontecer”, avançou.

O atleta tem o ano de 2014 como marco para o relançamento da sua carreira desportiva, por isso, promete trabalhar muito no sentido de melhorar a qualidade competitiva e lutar para constar na lista dos melhores marcadores da prova.

“Sou um ponta de lança com ‘faro’ para o golo, porque marcar golo é minha missão. Este ano tudo vou fazer para a curto prazo atingir um nível competitivo, que me permita lutar pelo troféu de melhor marcador e ajudar a equipa que representar”, disse.

Em 2011, o ponta de lança foi o melhor marcador do Campeonato Nacional da Segunda Divisão (Segundona), pelo Atlético do Namibe, com 11 golos e em 2012 foi o terceiro classificado da lista dos melhores marcadores do Girabola com dez golos.

“Sempre sonhei com a conquista da bola de ouro e em 2012 e só não ganhei por falta de alguma sorte o que foi bem aproveitada pelo ‘puto’ Yano do Progresso, que apareceu em grande”, reconheceu.

“Infelizmente, o ano passado, no Bravos do Maquis fui pouco utilizado e na segunda volta no Benfica de Luanda, apesar do pouco tempo pude ainda marcar quatro golos”, acrescentou.


AFROTAÇAS
“Desejo o melhor
às nossas equipas”


O atleta prevê uma campanha exitosa das equipas do Kabuscorp do Palanca, Petro de Luanda e o 1º de Agosto, os dignos representantes de Angola nas competições africanas deste ano.

Álvaro sublinhou que a prestação destas equipas no Girabola 2013, impressionaram os amantes da modalidade, sobretudo, na ponta final da prova, que demonstraram maturidade desportiva.

“As equipas estiveram bem na prova com destaque para o Kabuscorp do Palanca, por isso acredito que vamos chegar longe. Sei que a turma do Palanca é ‘caloira’ nestas andanças, mas a organização, ou seja, a sua forma de estar nas provas, acredito que tenha uma palavra a dizer”, perspectivou.

Concluiu que ao longo das eliminatórias, o campeão nacional vai ganhar experiência e encarar cada eliminatória com a maior responsabilidade e bastante empenho. “A equipa vai ganhar experiência em cada jogo que disputar e no final, acredito que Angola vai sorrir”, disse.


PRESTAÇÃO NO GIRABOLA
“O Benfica pode melhorar esta época”


Álvaro tem boas recordações do Benfica de Luanda, equipa que considera ter um bom futuro, caso consiga trilhar os caminhos que o Girabola exige.
"Gostei de passar pelo Benfica de Luanda, apesar de ter sido apenas por seis meses. Considero ser uma equipa que trilha o caminho da reorganização e caso continue nesta senda pode ser uma das melhores da nossa praça", assegurou.

 O atleta lamenta os dissabores por que passou o grupo para se manter no Girabola. "Não foi fácil, a luta era grande quer fora como dentro das quatro linhas, mas fomos audazes porque lutamos até ao último minuto. Muitos disseram no final da prova "bravos rapazes!" Tivemos uma grande união que partiu da direcção, atletas e muita boa gente que se identifica com o clube", precisou.

O jovem adiantou que este ano gostava de ver um Benfica menos sufocado e a conseguir cumprir o seu papel, logo nas primeiras jornadas do Girabola, para que ao meio da prova se sinta já aliviado, para evitar o sofrimento da época passada.

"Não gostava de ver a equipa com o sofrimento da época passada. Por isso, pelas contratações que tem feito, espero que este ano o grupo resgate o seu real valor e que passa por ficar entre as melhores da prova. Acredito que vão conseguir dada a reorganização, que tem caracterizado o trabalho desta nova direcção", concluiu.


APELO
Atleta exige maior empenho dos dirigentes

O ex-ponta de lança do Benfica de Luanda enaltece a evolução que a modalidade tem patenteado e o prestígio que já granjeou, mas pede maior responsabilidade aos dirigentes e atletas para o bem do futebol angolano.

"Na minha opinião, o futebol angolano está a evoluir a cada dia que passa. Têm surgido bons talentos e com muita vontade de proporcionar um bom futebol aos aficionados da modalidade, aspecto que tem trazido muita concorrência aos clubes. Ainda assim, acho que se deve fazer muito mais, sobretudo no que tange a organização e um trabalho sério nos escalões de base", comentou.

O atleta apela a todos no sentido de se empenharem nesta missão porque, na sua opinião, os resultados de tudo isso acabam por se reflectir positivamente na competitividade das selecções nacionais.

"Devemo-nos empenhar cada vez mais porque só assim podemos ver Angola ombrear com as melhores equipas do continente e não só. Aliás, o trabalho de base deve ser conciliado com uma boa organização, o principal sucesso para qualquer modalidade", concluiu.