Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Ficamos aqum do desejvel

Paulo Caculo - 25 de Dezembro, 2013

Presidente de direco do Interclube considera balano do futebol insatisfatrio

Fotografia: Nuno Flash

O presidente do Interclube, Fernando Alves Simões, disse ontem, em entrevista exclusiva ao Jornal dos Desportos que o balanço do rendimento da equipa de futebol em 2013  é insatisfatório.

O responsável máximo da direcção do conjunto da Polícia sublinha que em termos de classificação os objectivos não foram alcançados, mas ao nível da preparação da juventude para a próxima época foi muito boa.

“Antes de fazermos qualquer balanço, devíamos fazer uma análise ao plantel com que trabalhámos na época de 2013. São jogadores jovens, que foram preparados para, na próxima temporada, serem muito mais fortes que na anterior”, disse Alves Simões, acrescentando, em seguida, em função de tais constatações: “Em relação ao futebol podemos fazer um balanço não muito satisfatório, face ao nível que o Interclube já vem granjeando no Girabola”.

O líder dos “polícias” justifica o discurso com o facto de acreditar que, dado o potencial da equipa que esteve às ordens de Bernardino Pedroto, havia quase a obrigação de o Interclube fazer melhor ou, na melhor das hipóteses, encerrar o campeonato entre os primeiros três colocados.

“Ao contrário das outras modalidades, em que estivemos muito bem e o balanço é positivo, o futebol pensamos que podia ter feito também melhor, independentemente da juventude que jogou no nosso plantel.

Acredito que falhou algum entrosamento a nível dos jogadores, ou, se calhar, também a equipa técnica não esteve muito abalizada a trabalhar com jovens”, admitiu Alves Simões, sublinhando que as demais avaliações ou análises em torno do rendimento da equipa são “subjectivas”.

O dirigente reconhece, no entanto, ter havido um esforço muito grande da equipa técnica durante a época futebolística de 2013, sobretudo no capítulo da construção de uma equipa com a clara presença de jovens entre os titulares, facto que permitiu, na sua óptica, dotar a actual falange de jovens talentos de maior experiência, tendo em vista as próximas épocas.

“Acredito que na próxima época tudo vai ser diferente. Temos no plantel jovens com potencial para fazer face aos desafios da equipa. Queremos muito mais em 2014 e tudo faremos, num esforço conjugado, para que a imagem do clube seja melhorada, sobretudo em termos de classificação no Girabola”, perspectivou.

ÉPOCA 2014
Dez jogadores reforçam o plantel


O plantel da equipa da Polícia, visando a época futebolística do próximo ano, vai ser maioritariamente constituído por dez atletas jovens, provenientes dos demais clubes do Girabola. A garantia foi dada por Alves Simões, que chama a atenção para o facto de “não se tratar de jovens quaisquer”.

“Os atletas jovens que fomos contratar já têm experiência, porque já estão há três ou quatro anos no Girabola. Não são jovens promovidos dos escalões de juniores este ano, mas atletas que têm alguma rotina em termos de disputa de Girabola”, destacou.

“A experiência que alguns deles têm, dá-nos a garantia para podermos lutar pelos lugares cimeiros do campeonato”, disse o presidente do Interclube, que garante estar tudo a ser preparado de forma cuidada, para que nada atrapalhe os objectivos da equipa em 2014.“A próxima época está a ser projectada com todo o cuidado, aliás não é por acaso que em Setembro já tínhamos o plantel fechado.

Contratamos os jogadores que eram necessários para colmatar algumas dificuldades que notamos durante a época de 2013 e tudo leva a crer que estamos bem em termos de reforços”, garantiu Alves Simões.O presidente da equipa da Polícia confessa ter reunido os melhores jovens atletas do momento, que se vão juntar aos demais jogadores promissores que cumprem carreira no 22 de Junho.

FILOSOFIA
“A nossa aposta
é nos jovens”


O Interclube vai manter-se fiel aos seus propósitos e filosofia de trabalho, anunciou o presidente Alves Simões. Segundo o responsável directivo dos polícias, a juventude continua a ser a grande aposta da equipa em 2014, sem descurar daqueles atletas experientes que sejam fundamentais à manobra do conjunto.

“A aposta na juventude é o nosso principal caminho, para que possamos ter uma equipa a jogar durante dois a quatro anos juntos. Queremos criar uma mística no nosso plantel, como foi em 2007, ano em que conquistámos o nosso primeiro título de campeão do Girabola”, assegurou, deixando ainda expressa a vontade de o Interclube reunir sempre os melhores jogadores.

“É bem verdade que queríamos ter outros jogadores de grande nível no nosso plantel, mas, infelizmente, quem faz gestão e contas, sabe aquilo que tem, o que pode dar e está ciente do que não tem. Temos que, de forma criteriosa, formar bem o plantel”, sustentou.

Alves Simões garantiu estar muito optimista num futuro brilhante da equipa, mas sobretudo promissor, a julgar pelo número de atletas proeminentes que estão no plantel.Reafirma depositar enorme confiança na juventude, porque considera serem eles “o garante da construção e materialização dos projectos em carteira no clube”, que aspira regressar aos tempos áureos em 2014.

MANUTENÇÃO
“Continuidade de Paty
nunca esteve em causa”


O médio Paty, uma das peças imprescindíveis do Interclube, vai continuar a vestir a camisola da equipa em 2014. O dirigente confirmou que o jogador esteve em negociações prolongadas com a direcção, mas deixou claro que a sua continuidade no plantel nunca esteve em causa, porque a renovação do seu contrato há muito que estava acertado.

“A continuidade do Paty nunca esteve em causa. Sabe que o jogador no fim de cada época gosta sempre de fazer algum barulho, mas devo dizer que nunca tivemos problemas com o Paty”, assegurou.

Alves Simões lamenta apenas as fugas para outros clubes do guarda-redes Mário, o central Kialunda e o lateral Nuno, atletas que foram bastante influente na época finda na formação do Rocha Pinto.“Não fomos capazes de reter estes jogadores pelos valores exorbitantes que apresentaram no acto da renovação dos contratos. Temos um orçamento que procuramos gerir com muito cuidado, até porque ainda temos dívidas das anteriores direcções por pagar”, desabafou Alves Simões.

O presidente do Interclube, Fernando Alves Simões, disse ontem, em entrevista exclusiva ao Jornal dos Desportos que o balanço do rendimento da equipa de futebol em 2013  é insatisfatório. O responsável máximo da direcção do conjunto da Polícia sublinha que em termos de classificação os objectivos não foram alcançados, mas ao nível da preparação da juventude para a próxima época foi muito boa.

“Antes de fazermos qualquer balanço, devíamos fazer uma análise ao plantel com que trabalhámos na época de 2013. São jogadores jovens, que foram preparados para, na próxima temporada, serem muito mais fortes que na anterior”, disse Alves Simões, acrescentando, em seguida, em função de tais constatações: “Em relação ao futebol podemos fazer um balanço não muito satisfatório, face ao nível que o Interclube já vem granjeando no Girabola”.

O líder dos “polícias” justifica o discurso com o facto de acreditar que, dado o potencial da equipa que esteve às ordens de Bernardino Pedroto, havia quase a obrigação de o Interclube fazer melhor ou, na melhor das hipóteses, encerrar o campeonato entre os primeiros três colocados.“Ao contrário das outras modalidades, em que estivemos muito bem e o balanço é positivo, o futebol pensamos que podia ter feito também melhor, independentemente da juventude que jogou no nosso plantel.

Acredito que falhou algum entrosamento a nível dos jogadores, ou, se calhar, também a equipa técnica não esteve muito abalizada a trabalhar com jovens”, admitiu Alves Simões, sublinhando que as demais avaliações ou análises em torno do rendimento da equipa são “subjectivas”.

O dirigente reconhece, no entanto, ter havido um esforço muito grande da equipa técnica durante a época futebolística de 2013, sobretudo no capítulo da construção de uma equipa com a clara presença de jovens entre os titulares, facto que permitiu, na sua óptica, dotar a actual falange de jovens talentos de maior experiência, tendo em vista as próximas épocas.“Acredito que na próxima época tudo vai ser diferente.

Temos no plantel jovens com potencial para fazer face aos desafios da equipa. Queremos muito mais em 2014 e tudo faremos, num esforço conjugado, para que a imagem do clube seja melhorada, sobretudo em termos de classificação no Girabola”, perspectivou.

ÉPOCA 2014
Dez jogadores reforçam o plantel


O plantel da equipa da Polícia, visando a época futebolística do próximo ano, vai ser maioritariamente constituído por dez atletas jovens, provenientes dos demais clubes do Girabola. A garantia foi dada por Alves Simões, que chama a atenção para o facto de “não se tratar de jovens quaisquer”.

“Os atletas jovens que fomos contratar já têm experiência, porque já estão há três ou quatro anos no Girabola. Não são jovens promovidos dos escalões de juniores este ano, mas atletas que têm alguma rotina em termos de disputa de Girabola”, destacou.

“A experiência que alguns deles têm, dá-nos a garantia para podermos lutar pelos lugares cimeiros do campeonato”, disse o presidente do Interclube, que garante estar tudo a ser preparado de forma cuidada, para que nada atrapalhe os objectivos da equipa em 2014.“A próxima época está a ser projectada com todo o cuidado, aliás não é por acaso que em Setembro já tínhamos o plantel fechado.

Contratamos os jogadores que eram necessários para colmatar algumas dificuldades que notamos durante a época de 2013 e tudo leva a crer que estamos bem em termos de reforços”, garantiu Alves Simões.O presidente da equipa da Polícia confessa ter reunido os melhores jovens atletas do momento, que se vão juntar aos demais jogadores promissores que cumprem carreira no 22 de Junho.

FILOSOFIA
“A nossa aposta
é nos jovens”


O Interclube vai manter-se fiel aos seus propósitos e filosofia de trabalho, anunciou o presidente Alves Simões. Segundo o responsável directivo dos polícias, a juventude continua a ser a grande aposta da equipa em 2014, sem descurar daqueles atletas experientes que sejam fundamentais à manobra do conjunto.

“A aposta na juventude é o nosso principal caminho, para que possamos ter uma equipa a jogar durante dois a quatro anos juntos. Queremos criar uma mística no nosso plantel, como foi em 2007, ano em que conquistámos o nosso primeiro título de campeão do Girabola”, assegurou, deixando ainda expressa a vontade de o Interclube reunir sempre os melhores jogadores.

“É bem verdade que queríamos ter outros jogadores de grande nível no nosso plantel, mas, infelizmente, quem faz gestão e contas, sabe aquilo que tem, o que pode dar e está ciente do que não tem.

Temos que, de forma criteriosa, formar bem o plantel”, sustentou.Alves Simões garantiu estar muito optimista num futuro brilhante da equipa, mas sobretudo promissor, a julgar pelo número de atletas proeminentes que estão no plantel.

Reafirma depositar enorme confiança na juventude, porque considera serem eles “o garante da construção e materialização dos projectos em carteira no clube”, que aspira regressar aos tempos áureos em 2014.

MANUTENÇÃO
“Continuidade de Paty
nunca esteve em causa”


O médio Paty, uma das peças imprescindíveis do Interclube, vai continuar a vestir a camisola da equipa em 2014. O dirigente confirmou que o jogador esteve em negociações prolongadas com a direcção, mas deixou claro que a sua continuidade no plantel nunca esteve em causa, porque a renovação do seu contrato há muito que estava acertado.

“A continuidade do Paty nunca esteve em causa. Sabe que o jogador no fim de cada época gosta sempre de fazer algum barulho, mas devo dizer que nunca tivemos problemas com o Paty”, assegurou.

Alves Simões lamenta apenas as fugas para outros clubes do guarda-redes Mário, o central Kialunda e o lateral Nuno, atletas que foram bastante influente na época finda na formação do Rocha Pinto.“Não fomos capazes de reter estes jogadores pelos valores exorbitantes que apresentaram no acto da renovação dos contratos. Temos um orçamento que procuramos gerir com muito cuidado, até porque ainda temos dívidas das anteriores direcções por pagar”, desabafou Alves Simões.

DESAFIOS PARA 2014                 
Interclube vai lutar por um lugar
entre os três primeiros do Girabola


O Interclube parte para a próxima temporada com objectivos bem definidos. A equipa da Polícia ambiciona regressar, em 2014, aos três primeiros lugares do campeonato nacional. Alves Simões, residente de direcção, assegurou ainda que, à semelhança dos anos anteriores, o clube continua a ser um candidato ao título.

“Vamos atacar os lugares cimeiros e não foge à regra a conquista do título, porque o Interclube é um dos candidatos. Somos muitos nesta luta, mas apenas um pode ser o campeão. Queremos ficar entre os primeiros três classificados em 2014. Esta é a nossa meta”, garantiu o presidente de direcção da equipa da Polícia, que se mostra extremamente ambicioso quanto a concretização dos objectivos.

“Quando nós fazemos as alterações necessárias é sempre numa perspectiva de melhorarmos. Não estamos satisfeitos com alguma coisa e queremos que ela melhore. Penso que vamos ter uma boa época em 2014, melhor que aquela que fizemos em 2013”, asseverou Alves Simões.

“Gostamos de ganhar títulos com o nosso trabalho e não com o trabalho dos outros e muito menos a qualquer preço”, acrescentou. O presidente do Interclube diz ter razões para acreditar numa época em grande no próximo ano. Sustenta o optimismo com o facto de estar em crer que o novo treinador “vem de uma boa escola”, mas sobretudo corresponde ao perfil de treinadores que o clube pretendia, tendo em vista os projectos em carteira na equipa de futebol.

“Temos uma boa equipa técnica com capacidade e conhecimento do Girabola. O treinador principal é apenas o único novo entre os técnicos. O Luís Borges e o Abílio Amaral vão dar o suporte necessário ao novo treinador e procurar transmitir algum conhecimento nessa matéria. Acredito que poderemos ter uma equipa mais agressiva e a praticar um futebol moderno”, desejou, antes de sublinhar o sonho da equipa voltar a protagonizar um dos seus melhores registos de sempre, conquistando todas as competições do calendário da FAF em que estiver envolvido.

“É um grande sonho nosso fazermos um bom campeonato, conquistarmos o Girabola, a Taça de Angola e a Supertaça. Este é o nosso sonho. Mas para tal, temos de trabalhar porque nada vem de nada. Isso pode acontecer no próximo ano ou daqui há dois anos, mas tudo vai depender do trabalho que fazermos e de como vamos encarar as situações adversas que podem surgir no dia a dia. Mas pensamos fazer um campeonato diferente”.

PRÉ-ÉPOCA
“Vamos estagiar na África do Sul”


A cidade sul-africana de Joanesburgo é o palco do ciclo de preparação do Interclube de antecâmara para a temporada futebolística de 2014. A equipa deixa o país no próximo dia 9 de Janeiro para cumprir um estágio de cerca de 25 dias.Vamos abrir as oficinas dia 3 de Janeiro e o treinador chega na primeira semana de Janeiro.

Está tudo programado e vamos fazer cerca de seis a sete jogos. Vamos começar a preparação no país, antes de seguirmos viagem para Joanesburgo”, explicou o ‘comandante’ da direcção do Interclube, que assegura haver já clubes interessados em defrontar o Interclube na África do Sul.

“O nosso futebol tem de ser de uma equipa jovem, aguerrida, actuante e acutilante, com capacidade de reacção. Temos de aplicar esta característica de um futebol jovem no terreno e sem qualquer receio”, disse.

Alves Simões admite estar a apostar numa boa filosofia, porque reafirma não dispor de capacidade para pegar em 500 mil euros para comprar jogadores, porque o Interclube não goza de um orçamento que lhe proporcione o luxo das demais equipas.“Não temos esta capacidade e temos de nos sujeitar ao que temos.

É só esta a nossa politica. Queremos seguir a filosofia do Sporting de Portugal, trabalhar com a juventude e preparar uma equipa do futuro, nunca virando a cara à luta, sempre na disputa pelos objectivos”.

INFRA-ESTRUTURAS
Estádio 22 de Junho
ganha campos de apoio


Dois campos de apoio, um dos quais de relva sintética, estão a ser construídos no espaço adjacente ao Estádio 22 de Junho, anunciou Alves Simões.Segundo o presidente do Interclube, a iniciativa de investir em mais infra-estruturas para o futebol visa proporcionar melhores condições aos escalões de futebol da equipa, e “desafogar” o relvado do estádio principal.

Todos os anos prestamos atenção ao nosso relvado porque é o único que temos no momento e é muito sacrificado. Neste momento está a merecer obras de reabilitação. O processo de arrelvamento está concluído e estamos à espera que ela germine, para dentro de mais um mês estar pronta para receber os jogos da equipa”, disse Alves Simões, destacando os outros dois campos adjacentes, um dos quais para as equipas de formação.

“Estamos a fazer outro campo de relva sintética, de apoio, dentro daquela simbiose do treinador principal querer acompanhar a formação. Estamos também a fazer um campo mais pequeno para treino da equipa principal, de forma a desafogarmos um pouco mais o relvado do estádio, muito sacrificado durante toda a época”, esclareceu.

Alves Simões garantiu, a finalizar, que as obras estão em curso, embora um bocado atrasadas, pois, reconhece, o campo de relva sintética já devia estar pronto, mas “por questões de negociação com os moradores na vizinhança” houve contratempos com a sua construção.“Tudo leva a crer que dentro de mais três meses concluímos as obras.”

EQUIPA TÉCNICA
Novo treinador chega em Janeiro


A data da apresentação do novo treinador do Interclube está ainda em segredo, apesar de Alves Simões ter assegurado ao Jornal dos Desportos  a sua chegada para a primeira semana de Janeiro. Também se desconhece a nacionalidade do substituto de Bernardino Pedroto, embora o presidente da equipa da Polícia destaque ser um profissional com perfil adequado.

O treinador já foi contratado há algum tempo. Ele já esteve entre nós, viu alguns jogos da equipa no Girabola, mas só não foi dado a conhecer antes por respeito aos outros que estavam a trabalhar na equipa. Não era conveniente que fizéssemos algum alarido na altura”, esclareceu o dirigente dos polícias, que se recusa a identificar o futuro técnico da equipa.

“Para nós o segredo é a alma do negócio. Há quem prefira fazer uma gestão na praça pública, mas nós fizemos uma gestão mais virada para nós mesmos, internamente”, defendeu, para em seguida enumerar as qualidades do novo ‘comandante’ do plantel em 2014.“Este novo treinador gosta muito de trabalhar com os jovens. Esta é a nossa filosofia e, por isso, fomos procurar alguém que tivesse essa característica. Queríamos um treinador ambicioso”, disse o jogador.