Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Futebol no impede de estudar

Augusto Fernandes - 07 de Agosto, 2012

Cludio comeou a jogar muito cedo

Fotografia: Augusto Fernandes

Cláudio começou a jogar muito cedo por volta dos cinco anos de idade no Lobito, sua terra natal, no bairro Bela Vista, em companhia de Zenilton, Manucho, Renato, Genito, Esdras e muitos outros. Aos 10 anos de idade, por intermédio de um tio, foi jogar nos infantis do Electro do Lobito durante um ano e depois mudou-se para Luanda, onde ingressou nos Caçulinhas do Petro de Luanda, tendo jogado por duas épocas, sendo seus companheiros de equipa Aleixo, Teixeira, Sílvio, David e outros, sob a batuta do professor Santana e depois por Sorte.

Em virtude de o seu horário de treinos chocar com o escolar, Cláudio foi forçado a abandonar a equipa do Catetão para ingressar no 1º Agosto, onde foi recebido pelo mister Lourenço. No conjunto do Rio Seco encontrou Ferraz, Djoni, João, Paulucho, Gelson, Caculo, Paizinho, Vado e muitos outros, tendo jogado por duas épocas nos infantis. Durante este período jogou no campeonato provincial e ganhou um torneio organizado pelo Felício. Em 2011 passou para os juvenis, tendo sido orientado pelos técnicos Filipe Nzanza e Neto, juntando-se a novos companheiros como Mike, Gabi, Don, Alves, Blito, Beloy, Gana, Patanho e outros. Defrontou equipas como os Brilhantes, Petro de Luanda, Inter e Rodoviário. O jovem atleta diz que se inspirou em Modric, do Tonttenham da Inglaterra, mas também gosta de ver jogar Capuco.

Apesar de ser médio, Cláudio também marca nas balizas contrárias, tendo apontado 9 golos em 2011 e dez em 2010. O futuro craque diz ainda que a nível do campeonato provincial gostou de ver jogar Gelson, seu colega de equipa, por ser habilidoso e marcar muitos golos. “É bom jogar com um jogador como ele, pois motiva a equipa”, diz. No mês passado teve a sua primeira convocatória a nível da selecção nacional de Sub-17, que disputou um torneio no Brasil, tendo ficado em segundo lugar no seu grupo com o mesmo número de pontos que o primeiro, o Chile. Desta selecção fizeram parte jogadores como Gelson, Zé, Mavambo, Djoni, Epanga, Banana, Bartolomeu, Jamaica, Fábio, Bartolomeu e outros. Cláudio, o capitão da equipa, revela que “o meu grande objectivo é atingir a idade para poder ajudar os seniores a dar as alegrias que os nossos adeptos tanto precisam”.
Para além de futebolista, Cláudio é estudante do ensino médio.

PING-PONG
Jornal dos Desportos: Qual é a sua maior ambição como futebolista?
Cláudio: A minha ambição é atingir os seniores, os Palancas Negras e o futebol europeu, especialmente o campeonato inglês.


JD: Acredita que o 1º de Agosto ainda pode chegar ao título?
C: Embora no futebol tudo seja possível, pois há casos de equipas que já estiveram com larga vantagem sobre o segundo classificado, mas acabaram perdendo o campeonato mesmo na ponta final, acho muito difícil conseguirmos o título este ano.


JD: O Libolo está a liderar o Girabola por mérito próprio?
C: Acho que sim. Eles só dependem de si mesmo para vencerem o campeonato.

JD: Tem namorada?
C: Ainda é cedo

JD: Carro de sonho?
C: Lamborguini

POR DENTRO
Nome completo: Sílvio Dongate Conceição da Cruz
Filiação: Luís da Cruz e Isabel Pena da Cruz
Naturalidade e data de nascimento: Lobito, 6/03/96
Estado civil: Solteiro
Quantos filhos gostaria de ter: Cinco
Filme: Drama e acção
Discoteca: Dispenso
Prato preferido: Arroz com peixe frito
Bebida: Sumo
Cor: Azul
Perfume: Dai Vennnl
País de sonho: Holanda
Calçado: 41
Altura: 1,67m
Peso: 57
Defeito: Teimosia
Virtude: Acho que sou bondoso
Acredita em Deus: Sim, por causa da criação que vejo na natureza
Religião: Estudante da Bíblia