Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"H muita coisa por fazer no Bi"

Srgio V. Dias, Cuito - 29 de Outubro, 2012

Anastcio Severino Sambowe, Director da Joventude e Desporto do Cuito

Fotografia: Edson Fabrizio



Jornal dos Desportos – Que soluções se podem apontar para inverter o actual estado por que passa o sector desportivo no Bié?
Anastácio Sambowe – Penso que a aprovação da Lei do Mecenato pode ajudar a inverter o actual quadro, assim como a conjugação de esforços de todos os sectores afins. A aprovação dessa lei permite que toda a empresa que patrocinar o desporto fique isenta de pagar algumas taxas de imposto. Só assim o nosso empresariado poderá abraçar o patrocínio ao desporto. Caso contrário, vamos continuar com essa letargia no sector, sobretudo no futebol”, refere o número “um do MINJUD no Bié.

JD-Mas há dificuldades na busca destes apoios para o sector desportivo?
AS. Na província do Bié há, de facto, enormes dificuldades na busca desses apoios para o desporto, particularmente da classe empresarial, porque os investimentos feitos no desporto a nível das diferentes modalidades não têm retorno.

JD-Independentemente do futebol a que se referiu atrás, como avalia a prestação das demais modalidades desportivas?
AS .
Em relação às demais modalidades desportivas, apraz dizer que a sua desenvoltura surge mais numa perspectiva de recreação. A direcção do Sporting está a massificar além do futebol, o basquetebol e o andebol. Esta estratégia da massificação das diferentes modalidades pode ter respaldo a partir das várias escolas da província, à luz de uma orientação desse órgão. Há algum tempo, realizou-se um encontro em Luanda onde se fez uma reflexão em torno do desporto nacional. A orientação do MINJUD foi no sentido de trabalhar-se com o Ministério da Educação para massificar as várias modalidades a partir das escolas. Nessa perspectiva, o andebol, o basquetebol, o futebol e o desporto adaptado devem ser prioridade. No caso particular do desporto adaptado, a Escola de Atletismo Boa Esperança tem feito um grande trabalho, promovendo muitos atletas que hoje dão cartas a nível das provas nacionais. Esta escola tem, inclusive, atletas a formarem-se no exterior do país.

JD-Mas não existem na província associações das outras modalidades para que, efectivamente, se possa fazer também a sua massificação?  
AS.O MINJUD no Bié controla as associações provinciais de futebol, andebol, basquetebol e de voleibol. São estas as associações que estão em funcionamento e que realizaram as suas assembleias de renovação de mandato. Temos, ainda, na província, núcleos dinamizadores de futsal, xadrez e de lutas livres.

Tem equipa de iniciados
Sporting do Bié tem apoio para massificação do hóquei

Senhor director parece haver também na província uma apetência grande pelo hóquei em patins. Que comentário lhe apraz fazer sobre essa modalidade em que o nosso país por sinal é uma potência no continente?
No caso do hóquei em patins, a província teve uma equipa de referência, o Sporting, que outrora se denominou União Petro do Bié. Hoje, essa disciplina não consta das prioridades da direcção da agremiação leonina. O Bié, lembre-se, acolheu em 2011 uma final do “nacional” da modalidade, disputada entre as equipas do Petro e do Juventude de Viana, ambas de Luanda. Durante a disputa, o MINJUD ofereceu material desportivo à equipa do Sporting para a massificação do hóquei em patins.

JD-Tem havido apoio nesse sentido?
AS.Particularmente no que diz respeito ao hóquei em patins, o governo da província, através da direcção do órgão que superintende o desporto no Bié, apoiou uma equipa de iniciados do Sporting que foi fazer um estágio em Portugal. Foi dado também apoio à Escola de Atletismo Boa Esperança. Isso traduziu um gesto bastante positivo e que serviu também para ajudar a impulsionar a prática do hóquei em patins no Sporting.

INFRA-ESTRUTURA

JD-Em relação a infra-estruturas desportivas na província que comentário se lhe oferece a fazer?
AS.
Em termos de infra-estruturas, o quadro não é dos melhores na nossa província. Há um défice ainda muito grande e por isso mesmo, vamos trabalhar no sentido de inverter o actual estado.

JD-O que já foi feito nessa perspectiva?
AS.
Gostava de frisar, nesse particular, que através do esforço do governo foram reabilitados o pavilhão gimnodesportivo do Sporting do Bié, o Estádio dos Eucaliptos, as instalações do Vitória Atlético Clube, cuja direcção envida esforços para o arrelvamento do campo de futebol.

JD-Recentemente propalou-se a construção de uma quadra de jogos na comuna do Cunje, que dista cerca de sete quilómetros do Cuito. Em que pé está o projecto?
AS.O projecto da construção da quadra de jogos do Cunje, cujo lançamento da primeira pedra foi feito pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, há mais de três meses, é uma mais-valia para o desporto no Bié. A execução das obras dessa imponente infra-estrutura decorre a bom ritmo e traduz um ganho acrescido para o desporto no Bié. Esta unidade vai contar, entre outras dependências, com um estádio de futebol relvado. SVD, NO CUITO