Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Janguelito, aborda os moldes actuais da disputa da Segundona

Avelino Umba - 12 de Outubro, 2009

Janguelito, tcnico de futebol

Fotografia: Jos Soares

Há pessoas que defendem um modelo igual ao do Girabola para as equipas da Segundona. Que comentário se lhe oferece dizer?
Sou a favor de quem defende que a Segundona seja disputada nos moldes do Girabola. O futebol envolve gastos. Assim sendo, algumas equipas teriam de pensar com antecedência sobre as suas participações nas competições, preparariam os orçamentos e as finanças, para que não houvesse constrangimentos ao longo do campeonato, conforme temos assistido.

Que constrangimentos são esses?
Estou numa prova, na qual não sei qual é a classificação. Há quem defende que é feito a partir de um número, enquanto continuamos a fazer as contas em função dos jogos realizados. O mais viável seria fazer a Segundona nos moldes do Girabola. Quem tiver dinheiro, participa, quem não tiver, va para Girabairro. Equipa alguma tem o direito de prejudicar as que têm orçamento, finanças e fazem gastos. A título de exemplo, o Desportivo de Negaje, da província do Uije, fez a primeira volta e, a dada altura, primeiro ameaçou desistir e depois consumou a desistência. Essa sua atitude vai penalizar as restantes equipas do grupo. Houve gastos concernente à alimentação, transporte e estágios. Tudo isso vai a água abaixo por irresponsabilidade de quem se propôs chegar ao Girabola. Nesse sentido, a nossa Federação devia autorizar a participação nas competições oficiais, as equipas que tiverem recursos financeiros. 

Que avaliação faz da situação actual da sua equipa na Segundona?
É positiva, embora com algumas anomalias ao longo da prova. A agremiação depende de si própria, há bom tempo, para que consiga atingir os seus objectivos, mormente, a subida ao Girabola.

Quais são os embaraços que contribuem para a não virtual qualificação ao Girabola de 2010, nessa fase da competição?
A morte súbita do nosso atleta, em Cabinda, em pleno jogo, numa altura em que estávamos em vantagem, aliada a perda de alguns pontos diante de equipas abaixo do nosso nível, influenciou para a nossa actual posição na tabela classificatória. O Progresso do Sambizanga sempre foi apontado como a favorita do grupo, mas desperdiçou pontos a favor de equipas que não devia fazer. Esse é o nosso grande problema.

A direcção do clube prometeu aos adeptos o regresso da equipa ao Girabola em 2010. Perante o actual cenário, que explicações se lhe oferece dizer?
É verdade que a direcção fez a promessa, mas a equipa técnica e os jogadores estão a fazer tudo no sentido de, em 2010, o Progresso possa aparecer entre as equipas inscritas no Girabola. As nossas ambições não estão fora daquilo que a direcção preconizou no princípio da época. Estamos a lutar em pé de igualdade com as outras equipas; cada uma está a fazer o seu melhor para que alcance o desiderato preconizado. Até ao momento, a verdade é que não há equipa alguma já classificada para o próximo Girabola. Se as observarmos em termos percentual, veremos que todas têm possibilidades de subir. O Progresso do Sambizanga vai continuar a lutar no sentido de atingir os seus objectivos: subir ao escalão superior e, em 2010, disputar o Girabola.

Denota-se das suas palavras uma esperança confiante no sucesso do Progresso do Sambizanga na actual campanha. Têm tudo para que atinjam o Girabola?
O Progresso do Sambizanga tem tudo para atingir o topo do campeonato doméstico; tem plantel com um lote de jogadores valiosos e uma direcção que dá um forte apoio no que toca aos aspectos logísticos. Financeiramente, cumpre as suas obrigações em tempo real, isto é, estamos em dia, e creio que não temos razão de queixas nesse sentido. A direcção tudo faz, na medida do possível, para que atinjamos, em 2010, a fina-flor do desporto angolano. 

"O segundo lugar
é o primeiro dos últimos"

A Liguilha é uma das vias para se atingir ao Girabola’2010. Estão preparados para participar da mesma?
A Leguilha é uma das vias, mas o Progresso do Sambizanga está a lutar para subir directamente. A possibilidade que o Progresso do Sambizanga tem, as outras também a tem. O Progresso do Sambizanga não está a lutar para o segundo lugar, que dá acesso a Liguilha, porque o segundo classificado é o primeiro dos últimos. O Progresso do Sambizanga tem as chamas acesas para subir ao Girabola de 2010.

O que falhou para assumir o primeiro lugar nessa fase?
É um campeonato no qual todas as equipas se encontram. O Progresso do Sambizanga teve alguns percalços, não estava nas nossas previsões as derrotas, por exemplo, com o Desportivo do Negaje e com o Benfica de Cabinda. Vamos continuar a trabalhar no sentido de recuperar os pontos perdidos que nos permitam atingir os objectivos preconizados pela direcção, equipa técnica e jogadores.
 
Tem alguma dificuldade no desempenho das suas funções?
De momento não. Sinto-me satisfeito com a direcção do clube por todo o apoio que me tem sido dado. Por outro lado, a entrega total dos jogadores deixa-me regozijado e tranquilo.    

Que estratégia se deve adoptar para que o Progresso do Sambizanga se imponha a exemplo do passado?
Quando falamos de estratégias, subentendo que se deve reunir toda a família Progresso, no sentido de analisarmos tudo quanto tem de ser feito para a devolução da mística do clube, embora reconheça não ser uma tarefa fácil. Vim de uma outra geração e, a cada dia que passa, as coisas estão mais modernizadas, mesmo na qualidade de jogadores. Vai ser um pouco difícil, mas creio que vamos fazer tudo no sentido de devolver a mística do Progresso do Sambizanga. É um clube que merece estar no seu lugar no mosaico do desporto nacional.

Que projectos tem em carteira para devolver a imagem do Progresso do Sambizanga na roda do futebol nacional?
Todos passam pela direcção do clube, assim como treinadores e gente ligada à equipa mãe do Sambizanga. Creio que existem bons projectos em execução e a executar pela direcção; existem jogadores com boa qualidade e que garantem fazer um bom campeonato. O resto só futuro dirá. É de louvar o esforço da direcção do clube, desde o seu presidente até as pessoas que o acompanham no leme deste grande emblema, por tudo quanto faz para que o clube resgate, algum dia qualquer, a imagem daquela agremiação que arrastava multidão para os campos de futebol. Por outro lado, o Progresso do Sambizanga tem uma gama de infra-estruturas em construção para que o clube consiga suportar as suas despesas a partir de 2010. São infra-estruturas que vão alimentar os cofres internos e fazer do clube uma instituição independente financeiramente.

Angola vai jogar nos próximos dias no âmbito da sua preparação para a Taça das Nações Orange-Angola’2010. Que se lhe oferece dizer?
A Taça das Nações Orange-Angola’2010 é a montra do futebol africano que se aguarda com muita expectativa. Quanto à participação de Angola nesse evento, será muito difícil para nós, mas com a fé, estou crente que Angola, o meu país, poderá fazer uma melhor figura. Primeiro, vamos jogar em casa, somos os realizadores e há um tónico de apoio muito grande. Os jogos realizar-se-ão em quatro novos campos, em quatro cidades do país, o que motiva por si só as competências do país na realização de eventos de grandes magnitudes. A isso junta-se a boa qualidade de jogadores que temos na Selecção Nacional e do professor à frente da equipa técnica. Creio que tudo faremos no sentido de obtivermos bons resultados. Não quero dizer que os que passaram pela Selecção Nacional sejam maus, até porque tenho uma alta estima pelo professor Oliveira Gonçalves, mas Angola vai fazer bons resultados. Afinal, somos os organizadores. 

Perfil

Nome: João Imanga
Data de Nascimento:02/06/64
Naturalidade: Luanda
Nacionalidade: Angolana
Estado civil: Solteiro
Filhos: Seis
Altura: 1,72m
Peso: 96 kgs
Clube: Naturais Futebol Clube
Desporto ideal para si: Futebol e Boxe
Tabaco: Contra
Bebida: Vinho
Música: Kizomba e Samba
Prato preferido: Funji com carne seca
Religião: Católica
Droga: Contra
Poligamia: Respeita
Filme: Acção
País: Angola
Cidade: Rio de Janeiro (Brasil)