Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Lateral Pataca deixa Kabuscorp

Manuel Neto - 16 de Dezembro, 2016

Atleta est sem clube

Fotografia: Nuno Flash

O lateral direito Pataca revelou ontem em entrevista ao Jornal dos Desportos que já não é jogador do Kabuscorp do Palanca. O jogador lamentou o facto de não voltar a fazer parte do plantel palanquino para a próxima época que começa  a 4 de Fevereiro com a disputa da Supertaça entre o 1º de Agosto e o Recreativo do Libolo.

O atleta afirmou que depois de ter terminado o vinculo contratual  com o clube de Bento Kangamba, não chegou a acordo para renovação por várias razões, por isso, espera abraçar um novo desafio.

"Quando não há consenso em termos contratuais o melhor é rumar para outro desafio de forma a evitarmos qualquer problemas e que possa comprometer a nossa carreira. Depois de uma reflexão minuciosa, achei por bem ficar de fora daquele conjunto", explicou.

Pataca admitiu que o Kabuscorp é um clube em que gostaria de ficar mais tempo, mas a dada altura chegou a conclusão que o ambiente não era favorável e decidiu sair, considerando ser esta posição a mais acertada e augurar dias melhores para si.

"Sou um jovem que ainda tem muito para dar ao futebol angolano. Acredito nas minhas capacidades e tenho fé que irei jogar num dos grandes do futebol nacional no próximo Girabola  e voltar a provar o meu potencial", avançou.

O ex-atleta dos palanquinos almeja voltar a representar uma equipa com a pretensão de lutar para o título ou no mínimo os lugares cimeiros da tabela classificativa do campeonato nacional da I divisão.

"Sempre representei equipas de referência no nosso futebol, como 1º de Agosto, Libolo e Kabuscorp. Os dados que existem apontam  para boas prestações minhas nos clubes que joguei", afirmou confiante numa boa proposta para os próximos anos.

Confiante e optimista num futuro airoso, Pataca aguarda por uma boa proposta. "Acredito que para o ano volto a almejar um grupo cujo o troféu é a meta, porque continua ser minha ambição ser campeão do Girabola", destacou.


TRANSFERÊNCIA
“Troca de clubes influenciou”


A falta de mais oportunidade influenciou de forma negativa na sua prestação no Girabola ZAP, pois, acredita que se tivesse mais oportunidade as coisas seriam melhor para si e quiçá para as pretensões do clube.

Pataca aponta a troca de clube na reabertura do mercado das transferência, a meio da época, como uma das razões que estiveram na base de uma época menos conseguida.

"Comecei o campeonato pelo Libolo e terminei no Kabuscorp, ou seja, fui chamado a reforçar os palanquinos na segunda volta, ainda assim, acho que consegui mostrar o quanto valho. Contudo, são coisas do futebol e tive de respeitar as opções  técnicas", explicou.

"A verdade é que dos poucos jogos que fiz o meu talento emergiu ,visto que fui integrado este grupo com muita disposição de voltar a ser igual àquele jogador sempre laborioso, como ficou bem  patente nas primeiras épocas em que representei o Kabuscorp e o 1º de Agosto", disse sorridente.

O ex-lateral do grémio do Palanca acredita num futuro promissor para o futebol angolano a julgar pelas mudanças que se antevê na Federação Angolana de Futebol.

"São homens com ideias valiosas que podem mudar para o melhor o nosso futebol. Como atleta não posso pensar outra coisa que não seja um desporto cada vez mais próspero para todos os profissionais desta área", asseverou.


Temporada
“Balanço é negativo”


Pataca faz um balanço negativo sobre o rendimento da equipa na época finda, sobretudo, pelo facto de o seu antigo clube não ter conseguido alcançar os objectivos traçados para as competições em que esteve engajado.

Afirmou sem receio que um clube como o Kabuscorp do Palanca tem por obrigação vencer as competições em que estiver engajados e recordou que a classificação no Girabola Zap e na Taça de Angola esteve aquém do esperado.

"Qualquer profissional não se sente bem quando traça algo e não alcança. Eu não fujo a regra, aliás, acredito que todos aqueles que representaram o Kabuscorp não gostaram da prestação da equipa  na época que terminou, visto que este grupo tem sina de vitória", deplorou.

Assegura que apesar de o clube não ter ganho nada na época finda, tem fé que na próxima tudo vai fazer para vencer uma das competições nacionais, porque o clube tem pinta de vencedor e não pode ficar vários anos sem ganhar nada.

"O clube tem um jejum desde 2013 e sei que a direcção tudo está a fazer para inverter este triste quadro, que não faz parte dos  ideais do clube. Mas devo dizer que para que isso seja uma certeza é necessário que se mude muita coisa e se trabalhe muito mais", alertou.