Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Meu desejo continuar titular da minha equipa

Hermnio Fontes - 06 de Fevereiro, 2012

Guarda-redes nascido em Portugal tem orgulho de estar ao servio de Angola

Fotografia: Jornal dos Desportos

Hugo Marques já é um nome sonante na arena do futebol nacional. Recém convocado pelo seleccionador nacional, Lito Vidigal, o guarda-redes principal do Kabuscorp Sport Clube do Palanca, que na época passada conquistou o título de melhor “keeper” pela Rádio 5, concedeu uma entrevista ao Jornal dos Desportos, em que sublinhou estar feliz com a carreira, quando só conta ainda 26 anos, permitindo-lhe continuar a sonhar com outros patamares no mundo do futebol   

Hugo Marques continua a somar pontos no futebol angolano. Que experiência ganhou com a ida ao CAN do Gabão e Guiné Equatorial?
Gostei de conviver com os atletas de grande nome na nossa praça, como Manucho Gonçalves, Gilberto Flávio e Kali. Tive a oportunidade de aprender como é participar num CAN e representar o país pela positiva, apesar de não termos passado à outra fase.

Foi muito difícil fazer parte dos 23 convocados, mesmo não sendo utilizado nos três jogos que os Palancas Negras fizeram?
Realmente foi e continua a ser uma tarefa muito difícil. Porque num universo de mais de 30 guarda-redes que jogam no Girabola, Taça de Angola, na Segunda Divisão e no estrangeiro, tive a honra de ser chamado ao lado do Carlos e Wilson.

Depois do CAN, quais os futuros passos, principalmente na internacionalização da carreira?

O meu desejo é continuar como titular da minha equipa. É a primeira meta. Sei que assim posso, a curto prazo, voltar a integrar a Selecção Nacional.

A atenção agora está certamente virada para a sua equipa, que chegou sábado do estágio em Benguela. Adapta-se rápido às orientações do técnico Viktor Bondarenko?
Vou dar a máxima força na planificação de trabalho já encontrado. A equipa vem de um percurso de estágio muito positivo em Benguela e vamos à África do Sul, para juntos apoiarmos a filosofia de preparação do técnico Victor Bondarenko.
O Kabuscorp amanhã viaja à África do Sul para cumprir a segunda fase do estágio pré-competitivo. O que se pode esperar do colectivo, em particular do Hugo?
Procuro mostrar que sou profissional, sobretudo porque tenho o título de melhor guarda-redes pela Rádio 5, e não desejo perder por nada o valor e prestígio que me deu.

Com novos colegas que a equipa tem, como o brasileiro Rivaldo, como pensa cooperar com eles em campo?

Devo dizer que já conheço o grupo. No ano passado, quando cá cheguei, pouco sabia da minha grande equipa. Portanto, digo que vou continuar a aprender e trabalhar mais e melhor para nunca defraudar a confiança da direcção da equipa, na pessoa do meu presidente, Bento dos Santos “Kangamba”.

Atingir o primeiro lugar do Girabola e vencer a Taça de Angola é a meta da sua equipa. Significa que Hugo deve sofrer poucos golos nestas provas?
Esta é a minha maior preocupação. Mas para que assim aconteça devo sempre jogar com a minha equipa em campo, pois como se diz, a união faz a força. E desta força precisamos sempre, para vencer o adversário.

Este é o segundo ano a jogar em Angola e no principal campeonato. O que se pode esperar de si?
Com humildade ser o mesmo, para conquistar sempre patamares maiores.

A sua fama é cada vez maior. Há outras equipas a cobiçarem os seus préstimos?
De facto, fui muito aliciado por outras grandes equipas do Girabola, mas, acima de tudo, ganhei intimidade e respeito aqui no Kabuscorp e, por isso, neguei assinar por outros. E valeu muito para mim.

Quais são os incentivos que recebe dos fãs, adeptos e sócios da equipa?
Muito apoio moral, abraços e felicitações, enfim, vitórias e vitórias, porque o Kabuscorp é o que é graças também ao apoio dos seus adeptos e sócios. Todos merecem muita consideração nossa.

É possível voltar a conquistar o título de melhor do ano?
É sim possível. Basta crer nos nossos objectivos. Isto está acima de tudo.

Como acompanha o futebol angolano e como pensa contribuir a favor do mesmo?
O futebol em Angola está em franco crescimento e espero que continue a dar passos de gigante. E quanto à minha contribuição, é jogar sempre e ajudar o Kabuscorp e a Selecção Nacional.


Que conselhos aos dirigentes do futebol nacional para o tornarem cada vez mais competitivo e organizado?
Penso três coisas. Que os dirigentes de cada equipa acreditem cada vez mais nos jogadores. Que os jogadores sejam cada dia mais optimistas nos seus objectivos. E que se massifique a prática do futebol em todos os recantos deste rico e belo país que é Angola. Não há duvida de que exitem muitos talentos, só é preciso que haja instituições e pessoas capacitadas para lapidar estes valores, tem um campeonato muito forte e, com isso, fazer uma selecção que eleve o nome do país além fronteiras.


>> Perfil
Nome: Hugo Marques
Data de nascimento: 15/ 01/ 1986
Província ou estado: Braga, Fão
Estado civil: Solteiro
Local da formação profissional: Escola do Varzim do Porto
Música preferida: Kizomba
Bebida: Água
Cigarro: Não
Prato preferido: De tudo um pouco desde que bem feito
País de sonho: Portugal e Angola
Cidade: Póvoa do Varzim
Praia ou discoteca: Praia
Cor: Branca
Perfume: Dulce Gabanna
Homossexualidade: Cada um é como pensa
Poligamia: Contra