Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

No est ser muito fcil jogar na primeira diviso

29 de Abril, 2011

Hugo Marques guarda-redes titular do Kabuscorp

Fotografia: Jornal dos Desportos

Jornal dos Desportos: De onde vem e para onde vai Hugo Marques como futebolista?
Hugo Merques: Desde cedo, sempre tive e demonstrei paixão pelo futebol, quer na escola quer em casa. Os meus pais optaram, por isso, em apostar em mim. Tive formação profissional, desde a iniciação até aos seniores como guarda-redes, nas escolas do Varzim e Porto.

O Kabuscorp é o primeiro clube em que milita fora de Portugal?
Sim, é. E não está a ser muito fácil jogar na primeira divisão.

porquê? 
A realidade do futebol angolano é muito surpreendente. Todas as equipas que estão no Girabola, no meu ponto de vista, têm bastantes potencialidades. Em Angola há futebol muito competitivo.

Está a gostar de participar no principal campeonato angolano?
Muito. É uma experiência bastante agradável. Nunca joguei num clube onde a maioria dos atletas são africanos com grande profissionalismo.

Que metas pretende atingir no Girabola?
Nada mais do que ir à conquista do Girabola com a bandeira do meu clube, o Kabuscorp do Palanca, e jogar na selecção de Angola.

Como será possível jogar na Selecção Nacional, sendo cidadão português?
A direcção do meu clube está a tratar do assunto. Tenho a certeza de que tudo vai dar certo. Sou filho de mãe angolana e pai angolano, o que me dá direito à nacionalidade.

O que é que falta no futebol angolano e o que acha das eleições que terão lugar na FAF?
Trabalho não falta para engrandecer o futuro do futebol angolano. Faço referência ao trabalho desportivo de dois gigantes da modalidade. Primeiro, do meu presente, Bento Kangamba e, segundo, de Norberto dos Santos, pelo empenho e dedicação e fazem no futebol. Quanto ao futuro da FAF espero melhorias.

Fala-nos dos momentos marcantes da sua carreira dentro das quatro linhas?
Hugo Marques: Já vivi momentos especiais na minha carreira, mas ainda sou muito jovem. Acredito que tenho um longo caminho a percorrer. Os momentos mais significativos foram a convocação para jogar na equipa principal do Porto na Taça de Portugal. Com essa equipa, passei pela Liga dos Campeões. Pela selecção de Sub-17, estive no Mundial realizado na Finlândia, em 2003.

Por dentro 

Hugo Marques nasceu a 15 de Janeiro de 1988. É do signo Capricórnio. O futebol, para si, é o seu pão de cada dia, mas quando não está em trabalho cuida da minha família que ama muito. Vive maritalmente, com a sua amada Filipa”. É pai de um rapaz que se chama Rodrigo e está à espera, para breve, de uma menina que já tem nome. Vai se chamar Leonor. Gosta de cozinhar e ajudar a mulher nos serviços de casa. Gosta de ser tratado por “caçula” pela mãe. Tem no “Bacalhau com natas”, o seu prato preferido. Confessa admiração pela vasta gastronomia angolana.