Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Novo Secretrio-geral da Federao Angolana de Voleibol foi antes coordenador Tcnico

07 de Abril, 2013

O novo Secretrio-geral da Federao Angolana de Voleibol, Jos Domingos Monteiro

Fotografia: Eduardo Pedro

O novo Secretário-geral da Federação Angolana de Voleibol, José Domingos Monteiro, 41 anos, teve formação académica, desde muito cedo, em Cuba, onde, a partir de 1985, recebeu uma bolsa para dar continuidade aos estudos, que conciliou com a prática de algumas actividades desportivas como futebol e o voleibol, nas aulas de Educação Física dos estabelecimentos de ensino daquela ilha das Caraíbas.

“A partir dos anos 80, com pouco menos de dez anos, pratiquei futebol nos caçulinhas da bola na minha província natal (Malange), durante o ensino primário. Posteriormente, através de uma bolsa, dei continuidade aos meus estudos em Cuba, a partir de 1985, onde continuei a jogar futebol e aprendi voleibol aos 13 anos, nas aulas de Educação Física, tendo sempre sido hábil nas modalidades com bola”, confirmou.

A partir de então, José Monteiro praticou as duas modalidades em simultâneo, chegando a fazer parte das selecções escolares em Cuba até aos 18 anos, quando teve de optar por apenas uma modalidade, até porque os estudos, a partir de determinada altura, consumiam a maior parte do tempo.

“Naquela altura, cheguei a competir também nas competições universitárias de Cuba, até 1997, quando terminei a minha licenciatura em Cultura Física com a especialização em treino desportivo no futebol e voleibol. Em termos de formação específica também fiz o curso médio de fisioterapia, entre 1992 a 1995”, adiantou.

José Monteiro entrou para os quadros do voleibol em 2003, quando a Federação funcionava como Comissão de Gestão, onde foi coordenador e agora é o secretário-geral da Direcção presidida por Valentim Domingos, anterior vice-presidente e eleito para o quadriénio 2012-2016.

Para José Monteiro, o voleibol angolano ainda tem um universo de praticantes abaixo das expectativas, pelo que prevê melhorar administrativamente e o modelo de competições da Federação Angolana de Voleibol.


TRAJECTÓRIA
Professor de Educação
Física do Puniv da Ingombota


José Monteiro regressou ao país em 1998, tendo sido integrado no grupo de professores de Educação Física do Puniv da Ingombota, onde também funciona actualmente. “Formei, igualmente, o primeiro Núcleo de Voleibol escolar que participou em torneios e Campeonatos Nacionais desde 1999”, disse. Em 2001, foi convidado para dirigir a área técnica da Associação Provincial de Luanda de Voleibol, tendo exercido essa função até 2003, quando passou para a Comissão de Gestão da Federação Angolana de Voleibol. Com vários cursos da Federação Internacional de Voleibol e outros tantos na área da gestão desportiva, está, actualmente, a preparar o seu doutoramento em cultura física e desportos, que vai fazer em Cuba. 


PING – PONG

“Vamos superar as expectativas
no desenvolvimento do voleibolk”


Jornal dos Desportos: Qual é a situação real do voleibol angolano?
José Monteiro:
Neste momento ainda não estamos em condições de falar sobre o estado real do voleibol, porquanto, desde a nossa tomada de posse, temos vindo a fazer um trabalho para apurar a situação exacta do estado em que se encontra o voleibol, quer no desporto escolar, quer no desporto federado. Tivemos uma reunião de direcção, na qual se deram ordens a todas as áreas, mormente, técnico-desportiva, conselho de arbitragem, assim como outros órgãos, no sentido de ser feito o levantamento de todos os técnicos, árbitros e dirigentes qualificados. Está em curso o levantamento de todos os atletas dos diferentes escalões, que vão participar na nova época desportiva, que começa em Abril. Além disso, e da confirmação das associações e da sua estrutura orgânica, vamos realizar a primeira assembleia-geral ordinária neste fim-de-semana (ontem e hoje), para aflorar a realidade de cada associação provincial e diagnosticar em que nível de desenvolvimento estamos. Após a conclusão do levantamento dos dados, poderemos estar em condições de dizer a real situação da modalidade.

JD: Quantas associações provinciais de voleibol estão filiadas na Federação?
JM:
Não temos mais de dez associações e isso preocupa-nos. Queremos estender o voleibol a todo o país. Pelos contactos que mantivemos com a Direcção Nacional dos Desportos Escolares, ficámos a saber que existem 14 províncias a praticar o voleibol e fazem-se representar com frequência nos Jogos Nacionais dos Desportos Escolares. Faltam quatro províncias para preencher o país. Face ao número reduzido de províncias sem voleibol, achamos que é hora de começar a trabalhar em todo o país.

JD: Como é que estamos a nível de voleibol de praia?
JM:
Há muitos jovens a despontar com a ajuda do Morais e do Manucho, que não se cansam de transmitir conhecimentos. São jovens que já pensam percorrer o circuito mundial e auguramos que, quando o fizerem, atinjam os Jogos Olímpicos. É como tudo na vida. Leva tempo para que apareçam outros Morais e Manuchos. O trabalho é o segredo. Quem se propuser fazê-lo deve cavalgar muito. Os jovens que desejam estar nos Jogos Olímpicos devem ter uma vida regrada, dedicação aos treinos, espírito de sacrifício e muita camaradagem.

JD: Quantos torneios de voleibol de praia realizam por ano?
JM -
Temos o circuito nacional que engloba seis provas, em Luanda, Namibe, Sumbe, Lubango, Lobito e agora Cabinda, que vai inaugurar uma arena numa das praias locais. A Associação de Luanda está a realizar actividades que nos agradam e o voleibol de praia tem os seus espaços bem definidos em diferentes torneios, tal como as outras associações provinciais espalhadas pelo país. Sempre defendi que com pouco é possível fazer pouco mas bem feito. Não nos devemos emocionar na hora de realizarmos os torneios.


POR DENTRO

Nome completo :
José Domingos Monteiro
Filiação: Domingos Monteiro e Helena José
Local e data de nascimento: Malange aos 05 de Março de 1972
Peso: 64 kg
Altura: 1,71 m
Número calçado: 41
Prato preferido: Feijoada
Bebida: Sumo e vinho em ocasiões especiais
Tempos livres: Ler e praticar desporto
Cidade preferida: Tokio
Pais: Japão
Perfume: Carolina Herrera
Casa própria : Sim
Alguma vez mentiu? Sim
Religião: Católica
Desejo / sonho:  Ver o desporto angolano desenvolvido e organizado