Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

O jovem angolano venceu a prova "Futuros Campees" de Hipismo

Joo Francisco On-Line - 02 de Fevereiro, 2013

Alexandre do Nascimento Saluqueni, 12 anos, surgiu como muitos petizes na Fazenda Gimunalu

Fotografia: Nuno Flash

Alexandre do Nascimento Saluqueni, 12 anos, surgiu como muitos petizes na Fazenda Gimunalu, onde funciona a Hípica de Luanda do mesmo nome, localizada na Funda e que tem dado corpo nos últimos tempos aos projectos da Federação Angolana de Desporto Equestre de Angola (Fequangola), uma das Associações desportivas que surgiram em Angola nos últimos tempos. Em Dezembro último, aproveitando o período de férias escolares, Saluqueni viajou com a família a Havana e teve a sua primeira vitória numa prova de hipismo que se realiza anualmente naquela ilha caribenha para descoberta de novos valores, denominada “Futuros Campeões”, onde ocupou a primeira posição na prova de saltos. Esta é a sua primeira vitória numa competição internacional.

 Salukeni contou-nos que começou a praticar hipismo há perto de quatro anos, com mais familiares da sua faixa etária (dos cinco aos nove anos), pela mão do seu tio Desidério Costa, proprietário da Fazenda Gimunalu, um dos locais apropriados para a prática do desporto equestre em Luanda e onde tem havido concursos ou provas de hipismo em ocasiões festivas programadas pela própria Quinta, ou pela Fequangola, como a que é realizada ao longo desta semana para saudar o 4 de Fevereiro.  “A primeira vez que montei um cavalo nas festas da fazenda Gimunalu foi em 2008, a título experimental. Comecei por fazer carinhos ao animal, dei alguns passeios e tirei muitas fotografias. Na altura tinha oito anos. Estava acompanhado de primos meus, a Fatinha, Ociwana, Tininha, Márcio e a Dipanda, todos da minha faixa etária”, revelou.

Em 2009, por ocasião da inauguração da fábrica Águas do Zenza, localizada também na Fazenda Gimunalu, Saluqueni, os primos e outros principiantes, de entre os quais se destaca a “amazona” (nome que se dá às praticantes de hipismo do sexo feminino) Nerícia de Fátima Dala (Fatinha), 12 anos e ainda Ricardo Chimbundi, 13 anos - que também contam as suas histórias em  próximas ocasiões - ganharam definitivamente o “bichinho” pelos cavalos, inclusive para competir uns com os outros. Para Saluqueni, Nerícia e os demais, o professor Pedro introduziu-os na equitação (cavalaria), de início em passeios (dois a dois) com os cavalos, um deles denominado “Kamba-Diami” (Amigo).

INCENTIVO DO PR:
“Um dia serás
campeão de Angola ”


Actualmente, os cavaleiros (nome dos praticantes masculinos) e as amazonas em iniciados, da hípica de Luanda, incluindo Saluqueni, são treinados pelo professor Tiago Pombeiro, de nacionalidade portuguesa, que os levou à competição num primeiro concurso em 2010 com uma equipa da Policia Montada.  No primeiro concurso em que Saluqueni participou no grupo dos mais graúdos, alinhou numa equipa com outros quatro cavaleiros, incluindo o professor Pombeiro, Bruno, 33 anos, professor Pedro, 29 anos e Marito, 21 anos, que fizeram duas provas de saltos de 50 centímetros. “Estas provas foram vencidas pelos professores Pombeiro e Bruno, que ficaram empatados no lugar cimeiro. Eu e um polícia ocupámos a terceira e quartas posições, respectivamente.

Apesar de já não ter participado na segunda prova, para mim foi muito bom, até porque, na entrega de prémios, fui incentivado por muita gente, inclusive pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, que me disse palavras de estímulo como: “ Um dia serás campeão de Angola ”, recorda-se. Alexandre Saluqueni disse ainda que: “Além daquelas palavras de incentivo, na mesma cerimónia fui agraciado com uma medalha e um troféu que, apesar de ser pequeno, tenho-o guardado como um talismã”.O “futuro campeão de Angola”, além de vencer o concurso denominado “Futuros Campeões”, realizado na cidade de Havana a 22 de Dezembro de 2012, cujo diploma vai fazer parte da sua galeria, venceu mais dois concursos em 2010 e 2011.

“O primeiro lugar alcançado no concurso de saltos ‘Futuros Campeões’ de Havana, no meio de mais de 30 concorrentes, pode ter sido um balão de ensaio para o meu empenho nos próximos concursos. Foi muito bom e fiquei feliz por ter vencido ”, concluiu. Salukeni não quis terminar sem antes dizer que está presente nos concursos a serem realizados ao longo desta semana na Hípica da Funda, no âmbito das actividades alusivas ao 4 de Fevereiro.

PING-PONG
“O Hipismo é a arte de andar a cavalo”

Jornal dos Desportos: O que é para si o Hipismo?

Alexandre Saluqueni: É a arte de andar a cavalo. Não é qualquer um que consegue isso. É preciso ter o dom ou então trabalho muito e esforçar-se para adquirir esta qualidade. Por exemplo, não faltar às aulas e treinar muito.

Além do Hipismo o que mais faz?
Vou estudar agora a 8ª classe no Colégio Fruto do Cajueiro, no Condomínio da Sonangol Acácias Rubras, no Bairro da Camama.

Como concilia a prática desportiva com os estudos?
Só pratico hipismo ou equitação aos fins-de-semana. Os outros dias são dedicados aos estudos. Mas o hipismo também exige muito de nós.

Como assim?

No hipismo também se aprova e se reprova. Por exemplo, no torneio de Havana aprovei. E as quedas que a Nerícia sofreu são maus aproveitamentos. Em suma, o hipismo é uma escola, a da equitação.


Por dentro

Nome completo: Alexandre do Nascimento Saluqueni
Filiação: Pedro José Saluqueni e Valeriana Guedes do Nascimento Saluqueni
Local e Data do Nascimento: Município do Rangel (Luanda), aos 24 de Maio de 2000
Namorada: Não
Quantos filhos quer ter: Dois
Altura: 1,38 m
Peso: 38 kg
Nº de calçado: 35
Prato preferido: Funge com muamba de galinha rija
Bebida: Quissângua
Hobby: Jogar futebol e andar a cavalo
Cor: Branca e Preta
Cidade: Antes era Paris. Agora Dubai é que está a bater