Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"O meu sonho jogar na Liga norte-americana de basquetebol"

Joo Francisco - On-line - 29 de Janeiro, 2013

GERSON DOMINGOS - GERSON = MVP de cadetes e juniores em 2008,

Fotografia: Jornal dos Desportos

Filho de peixe sabe nadar”. Gerson da Silva Domingos, 16 anos, ou simplesmente Gerson, como o tratam no Vila Clotilde, onde ocupa a posição de extremo base da equipa juniores de Basquetebol, pode ser um exemplo do que afirmámos.

O basquetebolista, que é actualmente uma das esperanças de Angola, começou a praticar a modalidade em 2006, pelas mãos do seu pai, que também foi praticante e achou que o filho devia seguir as suas pisadas. “Meu pai levava-me sempre a ver os treinos no Vila Clotilde desde 1998. Também comecei a gostar e posso dizer que se sou o jogador de hoje também é muito graças a ele”, disse.

Gerson Domingos, seis anos depois de começar no basquetebol e a caminho do sétimo no Vila Clotilde, onde é treinado por Venâncio Quintas, já ganhou dois Campeonatos Provinciais de Luanda e outros tantos Campeonatos Nacionais pelo Vila Clotilde em 2008, 2010 e 2012, épocas em que foi considerado o MVP (jogador mais valioso). Em provas particulares foi igualmente eleito com a mesma distinção de MVP, no quadrangular da Fundação José Eduardo dos Santos (FESA), disputado o ano passado em Benguela pelos mistos de Luanda, Benguela, Huíla e Kwanza-Sul. “A última vez que fui MVP foi em 2012, em que representei o misto de Luanda no torneio da FESA, e em três jogos que efectuei, totalizei 78 pontos e fui eleito o melhor cestinha”, confirmou.

O extremo base que entra sempre no cinco inicial da equipa do Vila Clotilde considera que no seu escalão, só fica a dever na sua posição aos basquetebolistas Adilson Pedro, Daniel Manuel, Simão (Petro de Luanda) e Lírio( do Interclube). Na óptica de Gerson os Campeonatos de Basquetebol nos escalões de formação são bem disputados e além da sua equipa, as formações que dão bastante réplica e competitividade às provas são o Petro Atlético e o 1º de Agosto. “No Vila Clotilde, o Basquetebol nos escalões de formação, apesar da vontade de vencer todas as provas em que participamos, é praticamente um divertimento para nós. Acho que nos outros clubes também é assim, se tivermos em conta o ambiente que vivemos nas competições onde continuamos amigos mesmo depois dos jogos”, sublinhou.


PALAVRA DO PAI
"Só há desporto com bom aproveitamento no estudo"


Hélder Domingos ou “Zé Dião”, como é conhecido nas lides do Basquetebol, pai de Gerson Domingos, e que foi igualmente extremo base do Vila Clotilde entre 1989 e 2010 e que é actualmente treinador do escalão feminino do Interclube, influenciou sobremaneira o seu rebento a enveredar pela modalidade dos triplos a meia distância e “smachs”. “Preferi que o meu filho fizesse o que eu fiz em quase duas décadas e, então, nos períodos de férias levava-o a assistir aos meus treinos e jogos oficiais para incutir nele o gosto pela modalidade”, confirmou.

Questionado sobre o comportamento de Gerson no seio familiar, este relevou que “apesar de ser muito reservado, chegando mesmo a ficar muito tempo sozinho no seu quarto a ouvir música, não dá muita dor de cabeça”. “No princípio, quando começou a praticar o Basquetebol, estava difícil conciliar com os estudos, mas depois de o chamar à razão, de que só há desporto quando se tem bom aproveitamento no estudo, então acertou o passo”, disse.

Quanto ao futuro do seu filho no Basquetebol, Zé Dião acha que pode ir muito longe. “Espero que o Gerson atinja o mais alto nível. E no que depender de mim, farei sempre o possível e estarei sempre a apoiá-lo para concretizar o seu sonho. Eu não tive acompanhamento, mas ele terá sempre a minha presença por perto”, concluiu.


MOMENTOS E AMBIÇÃO
“jogador mais valioso
não acontece sempre”


Para Gerson da Silva, os momentos mais felizes da sua ainda curta carreira (seis anos), viveu-os sempre quando foi eleito o jogador mais valioso (MVP). “Foram momentos que eu vivi intensamente, que dedico também aos colegas, a meu pai, ao treinador e aos dirigentes do Vila Clotilde”, disse.
Gerson sonha em alcançar o “céu” no basquetebol, que para ele é o que todo o basquetebolista pretende. “O meu maior sonho é ser jogador da NBA”, confirmou. A nível da liga de sonho, Gerson Domingos admira e inspira-se em jogadores como LeBron James (Miami Heat), Kevin Durant (Oklahoma City), Russel Westbrook e Cris Paull dos LA Clippers.

PERGUNTAS E RESPOSTAS
“Fiquei triste com
a saída de Angola”


Além do Basquetebol o que mais fazes?
Estou a estudar a nona classe no Colégio Santa Teresinha, no Bairro do São Paulo.

O que pensas ser no futuro?
Pretendo ser engenheiro de Petróleos.

Como tens conciliado a prática desportiva com os estudos?

Tem que haver hora para tudo. Primeiro estão os estudos e depois é que está o divertimento.

Como assim?
De manhã, das 7h00 às 9h00 vou treinar, depois passo por casa para dar conta das minhas responsabilidades e vou para a Escola das 13h00 às 18h00.

Como viste a eliminação de Angola no CAN’2013?
Fiquei muito triste. Os jogadores falharam muito.

     
POR DENTRO
Nome completo: Gerson da Silva Domingos
Filiação: Hélder João Domingos e Catarina Gonçalves
Data e local de Nascimento: 16 de Abril de 1996, em Luanda
Estado civil: Solteiro
Altura: 1,82m
Peso: 84kg
Calçado: 43
Posição:Extremo-Base
Cor: Preta
Filme: Acção
Prato preferido: Feijoada
Bebida: Fanta
Tem namorada: Sim
Defeito: Teimoso/solitário
Clube do Coração: Vila Clotilde
Basquetebolistas que mais admira: Carlos de Almeida e Carlos Morais
Sonho: Ser jogador da NBA