Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Paulo Dias promete mais ttulos

Manuel Neto - 27 de Janeiro, 2014

Paulo Dias crtica clubes que pem os jovens a trabalhar no pelado

Fotografia: Domingos Cadncia

A conquista do título nacional de juvenis (Sub-17) pela equipa do Progresso Associação Sambizanga, cujo campeonato decorreu na província de Benguela, resulta do grande trabalho que é feito nas hostes do clube presidido por Paixão Júnior. A garantia é do técnico principal, Paulo Dias, em entrevista ontem ao Jornal dos Desportos.

“Estivemos bem em todos os aspectos. Penso que o grupo traduziu em campo tudo que temos trabalhado nos treinos. Por isso, realizámos uma boa prova desde os primeiros dias da competição, sem descurar os outros que também deram tudo de si para conquistar o troféu. Mas devo dizer que fomos os felizardos, merecemos a conquista do título”, disse.

Paulo Dias recordou que a equipa sambila não vence há cinco anos, uma competição no escalão de formação, por isso apostaram forte esta época no sentido de, pelo menos, ficar entre os três primeiros lugares da prova.

“Penso termos cumprido com o objectivo há muito perseguido. A meta era de ficar entre as três melhores, e pela nossa entrega e determinação vencemos o torneio. Assim, só me resta felicitar a direcção, a rapaziada e todos aqueles que contribuíram para o alcance deste feito”, sublinhou.

Dias adiantou que a vitória não foi fácil, uma vez ter defrontado adversários com boa qualidade e considera que o grau de dificuldades aumentou ainda, por terem defrontado equipas desconhecidas.

“Calhámos numa série onde faziam parte as equipas do Petro de Luanda e o Kilamba Kiaxi, terceira e quarta classificadas no Campeonato Provincial de Luanda. Por isso, houve alturas em que estávamos pessimistas, sobretudo porque não conhecíamos o Sagrada Esperança da Lunda Norte, o Dom Bosco de Benguela e a Electra do Lobito.

Mas, felizmente aos poucos estudamos estes adversários e acabamos por ultrapassá-los. Basta ver que terminamos a primeira fase sem perder um jogo na disputa dos sete”, referiu.

Com base nisso, o técnico Paulo Dias considera positiva a participação da sua equipa que na final da competição derrotou o Petro Atlético de Luanda, por 5-4,na marcação de grandes penalidades, após um rigoroso empate a uma bola nos 90 minutos de jogo.

FORMAÇÃO
Técnico promete mais conquistas


Paulo Dias afirmou que o título nacional conquistado pela equipa juvenil do Progresso Sambizanga faz parte do passado. Por isso, promete arregaçar as mangas para continuar a trabalhar duro no sentido de alcançar novas vitórias, assim como contribuir para o desenvolvimento do futebol angolano.

“O título já está esquecido. Vamos voltar com mais força para fazer melhor. Queremos dar muitas glórias ao clube e ao desporto angolano que bem merecem”, disse.

Dias que adiantou que a sua equipa é uma das que mais trabalha na formação e pede às outras no sentido de trilhar o mesmo caminho.

“Trabalhamos muito no escalão de formação. Temos cinco escalões de ensino: Escolinha, que ensina rapazes dos nove aos 12 anos de idade. Iniciados (dos 12 aos 14), Juvenis (14 aos 16) e Juniores (17 aos 19 anos de idade) e temos ainda uma equipa B que participa no Campeonato Provincial”, sublinhou.

O antigo capitão do Progresso disse que os atletas formados no clube são aproveitados, pois muitos acabam por representar a equipa em  séniores ou outros clubes e têm-se saído bem.

“Sabemos que na vida nem todos têm sorte, mas é certo que a maior parte tem tido bom rumo. São os casos do Ito, Chico, Chico Obel, só para citar estes”, referiu.
Em função disso, apela aos encarregados de educação dos garotos com vontade da prática desportiva no sentido de abraçar o projecto do Progresso ou de outros clubes.

“Isso é muito bom e gostava de recordar que o Progresso é muito rigoroso na selecção dos candidatos no que toca à identificação. Por isso, exigimos que os garotos tenham documentação autêntica e estejam inseridos no sistema de ensino. Caso não, o Progresso tem uma escola comparticipada da iniciação à 9ª classe. Por isso, exigimos ainda um termo de responsabilidade para um melhor acompanhamento dos pais”, disse.

O técnico louva a colaboração de alguns pais, que mesmo com algumas dificuldades, fazem um acompanhamento minucioso dos seus filhos. Mas critica outros que mesmo convocados não aparecem.

“Sabemos que a educação dos filhos parte de casa, por isso a colaboração dos pais em todas as vertentes sociais é imprescindível e o desporto não foge à regra. Por isso, apelamos aos encarregados de educação para não se apartar deste trabalho importante, quer para o bem das famílias em particular, como para o desporto no geral”, disse.   
MN

SUB-17
Nível das equipas
impressiona técnico


O técnico Paulo Dias disse na entrevista que concedeu ao Jornal dos Desportos, que ficou surpreendido com a qualidade do futebol apresentado pelas equipas do interior, durante o Campeonato Nacional de futebol na categoria de juvenis.

“Muito sinceramente, fiquei boquiaberto com a qualidade do futebol que as equipas das restantes províncias apresentaram. Penso que as equipas do interior, em termos de futebol, nada ficam a dever às de Luanda, acho que caso tenham mais apoios e acompanhamento podem lançar muito bons jogadores para o Girabola”, disse.

Em face disso, Paulo Dias apelou aos dirigentes desportivos e aos seleccionadores nacionais nos mais variados escalões para fazer uma incursão pelas províncias no sentido de melhor ver os talentos que lá estão.

“Acho que é uma das formas de proporcionar uma maior qualidade às selecções para o bem do desenvolvimento do desporto angolano. Alias, há muito que temos dito que Angola é um país rico em termos de matéria humana, falta apenas bons “olheiros” para desencantá-los e delapidá-los. Espero que o técnico Nzuzi André tenha saído de lá satisfeito com o que viu”, disse.       
MN


PROGRESSO-PETRO
Jogo da final na memória


O técnico Paulo Dias recorda com sorriso, o jogo que mais o marcou no Campeonato Nacional, a final que disputou com o Petro de Luanda.
“Foi um jogo que fica na memória. Estávamos a ganhar por 1-0, e aos dez minutos, numa altura em que já estávamos a gerir o resultado, sofremos um golo de penálti”, disse.

Ainda assim, o técnico diz não ter temido o resultado por reunir uma grande experiência em questões do género.
“Geralmente os jogos Petro-Progresso são renhidos, estamos habituados a isso. Eu e o meu colega Zico fomos praticantes e houve vezes que decidimos jogos assim. Por isso, transmitimos a nossa experiência aos miúdos e no final acabamos por vencer”, referiu.

O técnico recusou falar das arbitragens na prova,  alega não ser seu hábito  e também para evitar más interpretações por parte de pessoas ligadas ao futebol.
“Mesmo quando fui praticante nunca gostei de falar sobre o trabalho dos árbitros. Mas devo dizer que eles devem fazer a parte que lhes cabe por serem elementos imprescindíveis para a prática desportiva”, disse.   
MN


“Organização foi impecável”


O nível de organização e as condições de trabalho colocadas à disposição das delegações que estiveram presentes no Campeonato Nacional de Futebol de Sub-17, disputado entre os dias 8 e 19 do corrente, que Benguela acolheu, foram considerados “impecáveis” pelo técnico Paulo Dias, do Progresso Sambizanga, cuja equipa conquistou o título.

Paulo Dias sublinhou que apesar de uma ou outra falha, o campeonato foi “ bem organizado” nas suas mais variadas vertentes, o que proporcionou bom ambiente aos participantes.

“Numa escala de 0 a 10, dou nota dez à organização que sobressaiu, sobretudo, na marcação dos horários dos jogos, como na comunicação entre os representantes dos clubes e a Associação Provincial de Futebol. Isso facilitou muito para o cumprimento escrupuloso dos horários de jogos e outras envolventes”, salientou.

As condições de trabalho colocadas à disposição das delegações e o aparecimento massivo dos amantes do futebol aos estádios - os jogos foram disputados nas cidades de Benguela e do Lobito - cativaram igualmente o técnico sambila.

“Benguela reúne condições excelentes para trabalhar, sobretudo devido as suas infra-estruturas desportivas, concretamente campos para a prática de futebol. Por isso, nesta vertente não temos razão de queixa. Treinávamos nos campos do Electro do Lobito, do 1º de Maio e da Catumbela, que estão bem tratados, o que nos levou a concluir, sem medo de errar, que os seus campos estão mais conservados que os de Luanda”, sublinhou.

Paulo Dias adiantou que a presença em massa do público benguelense demonstrou o afecto que tem pelo futebol, o que “ajudou muito na criação de um ambiente festivo, onde a alegria e harmonia foram a nota dominante. Por isso, gostava num futuro breve voltar a viver a mesma experiência”, referiu.


FUTURO
 Mais apoio aos escalões de formação


O fraco apoio aos escalões de formação preocupa o técnico da equipa juvenil do Progresso Sambizanga, Paulo Dias, campeão nacional da categoria. Para ele, as entidades de direito devem prestar uma maior atenção ao futuro do futebol nacional. 

“Os dirigentes ao invés de apostar apenas nos seniores, deviam apostar mais na formação para o engrandecimento das bases, porque desse modo, estaríamos a fazer um investimento sério no desporto e evitaríamos comparar sempre atletas que nada acrescentam à qualidade competitiva do nosso futebol”, disse.

Em função disso, Paulo Dias espera que as equipas que têm trabalhado na formação continuem com a mesma pedalada para levar a bom porto os seus intentos e as que não trabalham nesta vertente, aconselha-as a aderir.

“Sei que não é fácil trabalhar na formação, mas com força de vontade pode consegui-lo. Por isso, penso a todas as equipas que estão nesta senda para não desistirem porque no futuro ficam sempre a ganhar”, sublinhou.

O técnico lembrou que existem equipas que trabalham e jogam no relvado no escalão sénior, mas mandam a formação para o “pelado”, comportamento no seu entender reprovável.

“Conheço equipas com títulos no Girabola, que têm campo relvado para treinar os seniores e não sei por que razão não priorizam também a formação no mesmo recinto ao invés de mandá-los para um “pelado” sem qualidade. O mais caricato é que depois de atingir a fase subsequente dispensam os jogadores, alegam ter defeitos de formação. Isso é mau”, disse.     
MN


APOIO AO CLUBE
Dias dedica troféu
a Paixão Júnior


O técnico Paulo Dias dedicou o título de campeão nacional de juvenis ao presidente de direcção do Progresso Associação Sambizanga, Paixão Júnior, pelo esforço que tem feito para o desenvolvimento do desporto no clube em particular e em Angola no geral.

“O presidente Paixão Júnior é um dirigente empreendedor, que nos tem dado muita força, quer nos bons como nos maus momentos. Não estou a inventar, porque os dados que vocês constatam falam por si. Saibam que as infra-estruturas que temos hoje, é fruto sobretudo do seu empenho. Ele é um homem que estende o seu apoio a todas as modalidades no clube e tem sido benéfico para o nosso crescimento”, disse.

Dias sublinhou que apesar de a sua direcção não ter exigido vitória da prova, mas de forma a incentivar os garotos, homenageou os atletas com um almoço e alguns prémios, como computadores, diplomas de mérito e alguns cursos básicos que deixou muito satisfeito os atletas.

"Estamos em formação e não devemos exigir muito dos garotos, nem pensar muito em prémios e noutras coisas valorosas, sob pena de cometer erros de formação, embora seja bom acompanhar a formação com resultados positivos. Lembro-me de que o presidente pediu apenas participação que dignifique as cores do clube, mas felizmente valeu-nos o título e estamos muito satisfeitos”, referiu.
MN

EQUIPA SÉNIOR
Progresso do Sambizanga
trabalha em Benguela


A equipa do Progresso Sambizanga, contrariamente ao que estava programado, segue viagem para Belo Horizonte, apenas na próxima quarta ou quinta-feira, soube ontem o Jornal dos Desportos do vice-presidente para o futebol, Manuel Dias dos Santos.

Manuel Dias dos Santos explicou que razões administrativas que não revelou estão na base da alteração da viagem para Belo Horizonte, pelo que a equipa deve seguir hoje à tarde para a cidade de Benguela, onde vai trabalhar durante três dias. 

“A viagem para o Brasil está aprazada para os próximos dias. E como em Luanda não temos equipas a trabalhar, achamos por bem aproveitar os dias que antecedem a viagem para o Brasil passá-los em Benguela, onde estão algumas equipas em actividade, no caso o 1º de Maio e o Nacional, assim como outras que se encontram naquela localidade”, disse.

Durante a sua estadia em solo benguelense, a equipa sambila vai aproveitar para testar os níveis competitivos com as equipas que competem no Campeonato Nacional da Primeira Divisão.

Na semana finda, a equipa comandada por Lúcio Antunes, para além de treinos técnico- tácticos (trabalhos de campo), com a realização de exercícios de recuperação da condição física dos jogadores no relvado, alguns atletas realizaram os habituais exames médicos.

Ainda durante a semana em referência, a preparação com bola fez igualmente parte dos ensaios promovidos por Bobista, o braço-direito de Lúcio Antunes, que também tem exercido a função de preparador físico.  

O médio trinco Adão Joaquim, contratado este ano pelos sambilas, esteve na Suíça a resolver alguns assuntos administrativos, está de volta ao país para juntar-se à equipa que hoje à tarde viaja para Benguela. Antes de deixar Luanda, a equipa realiza um treino no período da manhã. 
MN