Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Porcelana aspira sucesso

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 13 de Fevereiro, 2013

Tcnico do Porcelana promete uma equipa aguerrida e competitiva na estreia no Girabola

Fotografia: Nuno Flash

JD - Que balanço faz das duas semanas de trabalho na Huíla?
MZ - O balanço é positivo. Os jogadores estão a absorver aquilo que é o processo de treinamento, a condição física, técnica e táctica. Podemos afirmar que até ao momento a preparação está a decorrer dentro do previsto.
 
A opção desta cidade para última etapa da preparação teve um objectivo especial ou mera coincidência?
As condições na Huíla oferecem garantias para se efectuar uma boa preparação, dada a altitude e as condições logísticas que permitem realizarmos um excelente trabalho. A título de exemplo, temos a zona da Palanca, no município da Humpata, local onde se pode realizar o trabalho anaeróbico e aeróbico. São por estas e outras razões que escolhemos a província da Huíla.
 
Depois do êxito na Segundona, quais são os aspectos a serem aprimorados, tendo em vista a estreia no Girabola?
 Começámos primeiro na componente física, que passa por dotar os jogadores de condições para poderem suportar as exigências da competição, de acordo com aquilo que pretendo para a nossa participação no Girabola. Estamos a formar uma equipa competitiva, disciplinada e organizada, para que as coisas nos corram sem sobressaltos.

As condições criadas pela direcção do clube permitem realizar uma participação condigna da equipa?
 As condições são excelentes. Estamos satisfeitos pelo esforço e empenho que a direcção do clube tem feito, porque deu todo o apoio e condições para que na preparação da equipa no arranque da época não acontecesse nada de anormal. Resta-nos dizer publicamente que estamos satisfeitos, porque as condições estão todas criadas.

PORCELANA FC
Técnico garante época tranquila


O nível de exigência do Girabola é maior em relação à Segundona. O plantel oferece garantias para uma época tranquila?
Acredito que sim, porque temos plena confiança naquilo que estamos a fazer. Devo aqui ressaltar que do plantel da época passada dispensámos 16 jogadores e fomos em busca de mais 11 para emprestar mais-valia ao conjunto. Estamos satisfeitos com os jogadores que vieram reforçar o plantel e acredito que com maior ou menor dificuldade, vamos realizar uma campanha tranquila.
 
Depois dos jogos amistosos realizados até ao momento, que sectores merecem maior atenção?
Fizemos quatro jogos de preparação aqui na província da Huíla e as ilações que tiramos são positivas. O sector defensivo está a portar-se muito bem, pois sofremos apenas três golos em quatro jogos. Acredito que vamos melhorar muito mais. Em relação ao ataque, nos últimos dois jogos, com o Desportivo da Huíla e Atlético do Namibe, os atacantes produziram mais. Marcámos seis golos mas vamos continuar a trabalhar os três sectores do conjunto, porque ainda existem algumas debilidades que nos preocupam.

ALERTA
“Temos que frequentar
as acções de formação”

O futebol angolano tem sido alvo de duras críticas. Que análise faz do momento da modalidade?
Temos notado nos últimos anos alguma evolução a nível directivo, mas muito ainda tem que ser feito neste capítulo, quer a nível dos clubes como federativo. Só assim podemos augurar bons resultados nos nossos clubes e selecções.

O que deve ser feito na vossa classe para elevar o prestígio da modalidade no continente?
Nós, os treinadores, temos que fazer um esforço muito grande para frequentarmos o maior número de acções de superação para aprendermos cada vez mais e contribuir para melhorar o futebol nacional, caso contrário a modalidade não evolui.

Jornal dos Desportos - Para quando a apresentação do plantel aos sócios do clube e à população do Kwanza-Norte?

Mozer - Vamos apresentar a equipa ao público e sócios do Kwanza-Norte no próximo dia 26, diante de um Misto local, para brindar o nosso povo e apresentar aquilo que é a nossa equipa para os compromissos que se avizinham.
 
Ao aceitar dirigir o Porcelana acreditou que conseguia colocar a equipa na 1ª Divisão em tão pouco tempo?
Fomos a convidados para trabalhar no Kwanza-Norte em Junho de 2012 e aceitámos o desafio. Tenho um contrato de um ano e meio, quer dizer que já cumpri os primeiros seis meses. O futebol na província está a evoluir e como exemplo, o facto de que a equipa do Porcelana FC não tinha escalões de formação e neste momento contamos com os três escalões, iniciados, juvenis e juniores.

Quer dizer que estão no bom caminho e que espera dias melhores?
 Há realmente uma certa evolução e vamos esforçar-nos para acompanharmos o trabalho que está a ser feito nas camadas de formação do clube. Fomos buscar um treinador, o jovem Barezy, para emprestar uma mais-valia, aquilo que pretendemos na formação. É um técnico que andou muitos anos no Interclube e possui uma vasta experiência naquilo que é o trabalho de formação.

Podemos dizer que neste capítulo o futebol no Porcelana FC está salvaguardado para as próximas temporadas?
No capítulo de formação, acreditamos que daqui a dois ou três anos, o futebol do Kwanza-Norte vai depender da formação dos novos talentos lançados pelo clube.
 
O número e a qualidade dos atletas que o clube movimenta dão esta garantia?
 Neste momento não podemos falar com muita precisão sobre o número de atletas, porque a pesquisa continua. Quanto à qualidade posso garantir que é das melhores e promete que vamos surpreender no futuro.

ESTREIA NO GIRABOLA

Quais são os objectivos da equipa no Girabola e na Taça de Angola? 

No campeonato nacional, o nosso objectivo é modesto e passa pela manutenção na competição, mas não vamos descurar os lugares cimeiros, pois a nossa intenção é dignificar a província e o nome do clube. Quanto à Taça de Angola, vamos ver o que vai acontecer, já que é uma competição a eliminar. Vamos preparar a nossa formação para irmos o mais longe possível na segunda maior competição.
 
Quantos dias mais permanecem nesta cidade? Têm agendado mais alguns jogos de preparação?
Temos mais cinco dias, o que quer dizer que vamos ficar aqui cerca de 18 dias. Em princípio, temos agendado mais dois jogos de controlo, sendo um contra um Misto local, constituído por jogadores do Girabairro e do Benfica Petróleos do Lubango e outro com o 1º de Maio de Benguela, na quarta-feira ou quinta-feira, na província de Benguela. Depois do jogo de controlo com os proletários, regressamos ao Kwanza-Norte.
 
Pensam realizar algum trabalho específico em casa ou apenas a sequência da preparação? 
No Kwanza-Norte, vamos aprimorar tudo aquilo que achamos que não está bem na equipa, porque é em nossa casa. Vamos ambientar os novos jogadores à realidade da província, antes de nos deslocarmos a Luanda para defrontarmos o Interclube, no dia 23, na apresentação do seu plantel para a época 2013. Vamos ao longo destes dias aprimorar a componente técnica e táctica e melhorar outros aspectos.

Que mensagem deixa à massa associativa do clube e aficionados do desporto-rei no Kwanza-Norte e no país?
Acreditem no trabalho que estamos a desenvolver. Apoiem-nos e nós tentamos dar uma boa resposta a esse povo que tanto merece. Não prometemos o título, mas vamos tentar dignificar a província.

CONSTATAÇÃO
Média de idades satisfaz objectivos


A média de idades da equipa satisfaz os objectivos traçados pela direcção?
Formámos uma equipa muito jovem, com uma média de idades a rondar os 23 anos, mas acredito que com a inclusão de Lau e Miro, jogadores mais velhos da equipa, podemos surpreender, realizar um bom campeonato e equilibrar os jogos com todos os adversários.
 
O Porcelana reforçou os três sectores. Qual deles é o mais forte e qual precisa de maior atenção da equipa técnica?
Reforçámos realmente os três sectores. Contratámos mais um guarda-redes, o jovem Mocas (ex-1º de Agosto), na defesa, Carlão, Oseias, Lauchu, Maninho e o Miro, que vai ser adaptado para o meio campo, dada a sua experiência. No ataque fomos buscar o Rolf e o Severino.

Quantos jogadores estrangeiros contrataram?
Temos dois jogadores estrangeiros, o ponta-de-lança Fofana e o médio trinco Kamará, todos da Guiné Conakry. Com estes dois atletas e com o apoio de Rolf, vamos ter um ataque com muita velocidade e atitude. Vão emprestar mais-valia ao grupo.

AVALIAÇÃO
“O entrosamento
 vai melhorar”


O Porcelana FC contratou 16 novos jogadores. Existe entrosamento no seio do grupo?
Posso garantir que neste momento a equipa está com um bom entrosamento e estou satisfeito pelo desempenho dos meus jogadores. Os automatismos ofensivos melhoraram bastante e neste momento estamos satisfeitos com a evolução do grupo, mas reconheço que temos que melhorar muito mais.

Podemos dizer que neste capítulo a equipa está a caminhar para o rumo certo…
Acredito que com um pouco mais de trabalho, o entrosamento vai melhorar. Os jogadores estão a empenhar-se a fundo, mas precisamos de aumentar um pouco mais a intensidade para depois soltarmos a equipa.