Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"Publicidade tem pouca visibilidade no Uje"

Muanamosi Matumona - 18 de Dezembro, 2009

Director Provincial da Comunicao Social no Uje,

Fotografia: Jornal dos Desportos


A poucos dias de abertura do CAN´2010, a província do Uíje está preparada para acolher, à distância, a competição?
É difícil responder a essa questão, pois a situação não permite a quem quer que seja traçar, com muita facilidade, um quadro positivo, embora existam algumas iniciativas que há bastante já foram concretizadas. Apesar dessa aposta, ainda falta muito para que se possa falar de uma grande e verdadeira propaganda do CAN na província do Uíje. Faltam alguns dias para o arranque e ainda não se viu nada de especial nesse sentido. Pelo que é muito normal considerar preocupante o quadro actual.

Significa isto que não vai haver CAN no Uíje?
Não é bem isso. O que acabei de frisar é apenas a situação real, concreta e actual em termos de publicidade que se deveria assegurar para animar, incentivar e estimular o nosso público. Aliás, como já foi frisado, houve algumas iniciativas nessa linha: além da cidade, nos municípios como Sanza Pombo e Songo, os painéis publicitários já tinham sido montados há muito tempo, e deram aos referidos lugares um outro rosto. Isso chamou a atenção à gente daqueles municípios, que passou a ter consciência da responsabilidade que todos os angolanos vão assumir na altura da competição. Mas isso não basta, pois a província é extensa, e outros "cantos", como Bembe, Ambuíla, Cangola, Makela do Zombo, etc., fazem parte do país que vai organizar a Taça das Nações. Por isso, não podem ser excluídos.

Mas dentro da sede provincial há algo que pode ser destacado?
Há qualquer coisa, mas que não é nada significante… Temos dois painéis em condições e outros foram levados pelos fortes ventos que se abatem sobre a cidade. Mas como sede provincial, Uíje deveria ter mais iniciativas, mais material de divulgação do CAN´2010. Infelizmente, não temos nada de especial para nos orgulharmos em termos de publicidade a nível local.

Como director provincial da Comunicação Social, o que pensa fazer para mudar o quadro, já muito perto do pontapé de saída?
Pessoalmente, não penso em altos voos, pois tudo depende muito do COCAN, que é o grande responsável da prova. Da nossa parte, como Direcção Provincial da Comunicação Social, apenas estamos a "mobilizar" os media locais para destacar tudo o que diz respeito ao CAN. Até aqui, estão a cumprir bem o seu papel, uma vez que todos os jornalistas locais estão empenhados, dentro das possibilidades, pois a nível provincial as limitações não faltam. Assim sendo, acho imperiosa a vinda de alguns elementos da comissão organizadora para a realização de actividades que sejam capazes de conquistar o nosso público. A colocação de algumas telas em alguns pontos estratégicos da cidade será um projecto bem-vindo. Espero que isso passe do sonho à realidade.

Com esses constrangimentos, o público uijense não está motivado?
Se o público não está a ser bem sensibilizado, isto não significa que o mesmo não esteja interessado no CAN. Quem pensar o contrário estará enganado, pois a ausência de publicidade não está a abalar completamente um povo que sabe que o CAN é para toda Angola, pelo que é também da província cafeícola. Na hora "H", surgirá um projecto ambicioso a nível local, que vai tornar visível o rosto do Uíje no contexto nacional, pois há um interesse especial, apesar da falta deste ou daquele dado.

No plano desportivo, os Palancas Negras podem realizar uma campanha de sucesso?
Pessoalmente, espero que sim, pois, o optimismo é algo que não me falta. Assim sendo, acredito que os Palancas Negras vão fazer o que estiver ao seu alcance. Nesse sentido, gostaria também de frisar que o meu optimismo coabita um pouco com alguma reserva, porque a prova não vai ser nada fácil para ninguém, nem tão pouco para o país organizador. Numa palavra: tudo pode acontecer com a Selecção Nacional…