Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"Quero jogar como o Grande Mestre russo Garry Kasparov"

João Francisco, Textos e Fotos - 17 de Dezembro, 2012

Domingas Josefa Tavares, 15 anos, conhecida simplesmente por Loide entre as suas companheiras

Fotografia: João Francico

Domingas Josefa Tavares, 15 anos, conhecida simplesmente por Loide entre as suas companheiras, é mais uma grande promessa do xadrez angolano, forjada na Escola Macovi. Sagrou-se campeã nacional de juniores em 2012, na prova recentemente disputada na cidade de Malange, feito que a coloca como a principal favorita para representar o país no Campeonato Africano da categoria, a disputar-se ainda este ano na Tunísia. A xadrezista começou a jogar aos dez anos de idade, depois de a mãe ter contactado o mister Correia Victor “M’beco”, patrono da Escola Macovi, para que a menina passasse a ocupar os tempos livres.  “A minha mãe falou com o mister M’beco e ele mandou-me levar uma fotocópia da minha cédula. Depois, comecei a aprender o ABC do xadrez, primeiro a conhecer o tabuleiro de 64 casas e, depois, o movimento das peças, tendo o Cavalo sido o mais difícil”, recorda a jogadora que, à medida que aprendia, o “bichinho” começava a entrar no corpo.

Quando entrou naquela agremiação de referência no Bairro Popular, para aprender xadrez, encontrou como companheiras Valquíria da Rocha, Nelma Lopes, Maria Domingos, Margarida Sussu e Enaltina Francisco, que também já são consagradas e já mudaram de ares. Algumas das suas anteriores colegas representam actualmente o Progresso Associação Sambizanga (PAS) ou o Grupo Desportivo da EPAL, a custo zero, ou seja, saíram da Macovi sem que as suas actuais equipas compensassem a escola que esteve na origem da formação delas. Além da vitória que acaba de alcançar num Campeonato Nacional, foi campeã nacional de juvenis na prova disputada no ano passado, em Benguela, melhorando o título de vice-campeã de Luanda, obtido no mesmo ano. E representou o país em duas competições internacionais, designadamente, os Campeonatos Africanos por idades de Lusaka (Zâmbia) e de Pretória (África do Sul), em 2011 e 2012.

MOMENTOS
Misto de vitórias e derrotas


Para a xadrezista Domingas Tavares o seu momento mais feliz foi quando derrotou a Mestre FIDE do Egipto Wafa Shahenda, no africano por idades de 2011, na capital zambiana. “Mas, o meu momento mais triste aconteceu durante o Campeonato Nacional absoluto feminino deste ano, em Luanda, no qual não consegui o apuramento para a selecção Olímpica que participou na Olimpíada de Xadrez de Istambul (Turquia). Até chorei como uma criança.Fiquei muito triste”, disse, ainda inconsolável. Domingas Tavares promete refazer-se daquele “fantasma” de insucesso que a continua a perseguir com mais trabalho, no intuito de defender o seu título de campeã de juniores e tentar ganhar mesmo o Campeonato Nacional Absoluto feminino nos próximos anos, para figurar na próxima selecção Olímpica.
      
PALAVRA DO TÉCNICO
Para José João, 22 anos, treinador que tem acompanhado a progressão das jogadoras da Escola Macovi, esta xadrezista é uma das suas apostas.“Desde então, considerei a Domingas Tavares como a melhor atleta da Macovi, teve uma relativa quebra na véspera do Campeonato Nacional de Juniores deste ano, mas conseguiu recuperar, o que demonstra a sua grande capacidade de sacrifício.” Sobre as qualidades da jogadora, o técnico acrescentou que “tem sentido de responsabilidade em todas as provas em que participa”. José João disse ainda que aconselha sempre as suas jogadoras a “não se dedicarem a cem por cento à modalidade. O xadrez e os afazeres escolares das minhas jogadoras devem andar de mãos dadas”.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Jornal dos Desportos: Como faz para conciliar o xadrez com os estudos?
Domingas Tavares: Treino o xadrez no período da manhã e vou à escola no período da tarde. À noite, quando chego, revejo a matéria. Assim consigo fazer as duas coisas ao mesmo tempo. 

JD: O que queres ser no futuro?

DT: Médica na especialidade de Clínica Geral. E no xadrez quero jogar como o Grande Mestre Russo Garry Karparov.

JD: Que classe frequentas e onde estudas?

DT: Estudo na 10ª, na Paróquia da Santa Ana. Neste momento estou a fazer Ciências Exactas.

JD: Quem mais admiras no xadrez?

DT: Duas pessoas: Garry Kasparov e Magnus Karlson.

JD: Que jogadores famosos já defrontaste?

DT: Já joguei com o Grande Mestre (GM) russo Anatoly Karpov, numa simultânea, em Luanda.

JD:
O que sentiste quando jogaste com ele?
DT: Senti-me bem, porque era a primeira vez que jogava com um Grande Mestre. Senti-me uma jogadora forte.

JD: Qual é a mensagem que deixas aos futuros dirigentes da FAX?

DT: Gostava que se empenhassem mais para desenvolver a modalidade, como acontece nos países onde a modalidade é muito forte. Existe muita gente a praticar xadrez em Angola e só assim é que podemos sonhar ter um Grande Mestre algum dia.

PERFIL
Nome completo: Domingas Josefa Tavares
Filiação: Tavares António Filho e Madalena Josefa Adão
Data e local de Nascimento:
A 24 de Junho de 1997, em Luanda
Irmãos: 2
Calçado: 35/36
Filmes: Acção
Hobby: Assistir e jogar futebol
Equipa(s) preferida(s): Real Madrid (Europa) e 1º de Agosto (Angola)
Mente: Às vezes
Religião: Mundial
Acredita no que a Bíblia diz:
Sim