Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Quero levar o desporto s comunidades

Joo Francisco - On-line - 23 de Março, 2013

Antnio de Almeida Gomes, director do desportos

Fotografia: Jornal dos Desportos

A vida dá muitas voltas. E no Desporto este velho adágio popular não foge à regra. Quem ia imaginar que António Gomes ou Toni Estraga, como é conhecido nas lides desportivas, que começou a jogar futebol no bairro e depois passou para a Escola de Futebol da Samba do professor Policarpo da Rosa, um dia seria o Director Nacional dos Desportos?

António Gomes, 46 anos, que na competição interna mostrou os seus dotes futebolísticos de médio atacante nos “Onze Bravos da Samba”, Porto de Luanda, Inter da Huila, 1º de Agosto e no Ovarense e Oliveirense de Portugal, Sporting e Pau Peng de Macau, valendo-lhe a alcunha de Tony Estraga, resultante das acrobacias que fazia com a bola em campo diante dos adversários, tem agora a árdua tarefa que passa pela gestão de todas as modalidades praticadas no País.

A nova função de António Gomes não se compara, por exemplo, ao cargo de Director Geral da Associação Progresso do Sambizanga (PAS), de que chegou a tomar posse, depois de ter sido reconduzido este ano para mais um mandato de quatro anos (2013-2017), isto antes de ser nomeado como o novo inquilino da porta número 19 do Ministério da Juventude e Desportos (Minjud), em substituição do Professor Raimundo Ricardo.

O actual Director Nacional dos Desportos disse ao Jornal dos Desportos que considera este seu novo desafio como uma missão importante, onde fará e dará o seu melhor para contribuir para o desenvolvimento do desporto angolano.

Conhecedor da realidade desportiva angolana, traz a receita do tempo em que o desporto “era um direito de todo o povo”, que hoje voltamos a encontrar na Constituição da República, talvez escrita de outra forma, mas sempre com o mesmo objectivo.

“É meu desejo ajudar a melhorar os índices quantitativos e qualitativos do nosso desporto e isso passa pela inserção da prática desportiva nas comunidades, nos estabelecimentos escolares e em outras instituições (…)”, sustentou.

A receita pode ser uma variante “melhorada” dos programas desportivos anteriores, que também pretendeu inverter a “pirâmide” desportiva, que pode ter as suas vantagens se tivermos em conta a experiência mais prática do que teórica do novo interlocutor.

MOMENTOS
Passagem pelo 1º de Agosto


Para António Gomes, um dos momentos que mais o marcaram na carreira como futebolista foi a passagem pelo 1º de Agosto e pelo facto de ter sido convidado por Daniel N´dunguidi, que considera uma grande referência do Futebol Angolano.

No 1º de Agosto, Tony Estraga encontrou outros nomes sonantes do “desporto-rei” angolano do seu tempo, como Vieira Dias (VD), Ivo, Capelo, Novato, Barbosa, Chico Dinis, entre outros. 

“A minha passagem pelo profissionalismo no Oliveirense e Ovarense de Portugal, Sporting e Pau Peng de Macau e nas selecções de Esperanças de Angola, também tiveram o seu espaço nas minhas emoções, mas não tanto como as que tive no 1º de Agosto”, disse.

Tony Estraga considera que também o marcaram ao longo da sua carreira desportiva treinadores e dirigentes de referência como João Machado, Joka Santinho, no 1º de Agosto e Selecção Nacional de Esperanças, Damião Pinto (Inter da Huíla), Manuel Fernandes (Ovarense- Portugal).

No dirigismo desportivo, mantém igualmente um reconhecimento profundo nas experiências que viveu com Justino Fernandes, Délcio Costa, Arnaldo Calado, Paixão Júnior, Alves Simões e Rui Costa, dirigentes com quem já trabalhou desde que terminou a sua carreira futebolística.


PING PONG
Antigo futebolista e licenciado em desporto


 Jornal dos Desportos: Quantas pessoas da sua família praticam ou estão ligadas ao desporto?
António Gomes:
Posso considerar que na sua maioria foram e continuam ligados ao Desporto.

JD: Fale-nos um pouco da sua experiência no dirigismo desportivo.
AG:
Tenho experiência em Gestão Desportiva. Comecei a minha carreira profissional como gestor desportivo em Portugal, após concluir a minha formação académica.
De regresso a Angola entrei para a Federação Angolana de Futebol (FAF) como Director do gabinete de Apoio às Associações Provinciais e posteriormente Director do Gabinete para as selecções nacionais no órgão reitor do futebol angolano.

JD: Além disso o que mais fez?
AG:
Fui durante algum tempo administrador da Real Sports, uma empresa de Marketing e eventos desportivos. Durante os últimos quatro anos passei pelo Progresso Associação Sambizanga (PAS) como Director Geral da agremiação, cujo presidente, Paixão Júnior, foi reeleito para um segundo mandato de quatro anos (2013-2017).

JD: Tem alguma formação académica específica?
AG:
Sim. Licenciatura em Educação Física e Desporto. Especialização em Organização e Prática do Treino (Futebol). Várias formações na área do treino e da gestão desportiva.


POR DENTRO

Nome completo: António de Almeida Gomes
Filiação: João de Almeida Gomes e Maria da Conceição
Naturalidade e data de nascimento: Cazenga (Luanda), 9 de Novembro de 1966
Estado Civil: Casado
Altura: 1,72 m
Peso: 94 kg
Calçado: 40
Camisola com que habitualmente jogou: Número oito
Posição: Médio atacante
Desporto preferido: Futebol
Tempos livres: Leitura e Desporto
Prato: Calulu de carne seca
Bebida: Sumos. Bebidas alcoólicas só em ocasiões especiais
Recorre à mentira: Quem não o fez?
País de sonho: Angola
Cidade:Luanda
Ídolo: Maradona
Clube do coração: Sporting
Sonho:Ajudar a melhorar os índices quantitativos e qualitativos do nosso Desporto.