Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"Quero ser um grande atirador"

Sardinha Teixeira - 16 de Junho, 2010

Anthony Lus da Costa Duarte Chaves estuda a 8 classe do ensino privado

Fotografia: Jos Soares

Como começou a sua paixão pelo tiro desportivo?Aos seis anos quando via meu pai atirar.Quais são as suas ambições?Para já, o objectivo imediato é o de participar nos campeonatos, divulgando a modalidade na esperança de que surjam mais equipas a nível nacional e novos valores que possam permitir a disputa de competições internacionais. Qual a sua categoria?Sou da categoria de iniciados.Qual o seu técnico e quem mais lhe apoia neste desporto?O meu técnico é o meu pai, a quem agradeço muito, porque sempre me apoiou.O que acha do tiro desportivo?Pouco divulgado.Tem alguma ideia que sirva para divulgar a modalidade?Em Angola, quando se fala de tiro, há logo uma imagem negativa associada a um indivíduo com uma arma apontada, pronto para matar o outro, principalmente os pais pensam assim. "Seria bom que este belíssimo desporto constasse no leque de disciplinas desportivas administradas nas escolas - . Os clubes não têm demonstrado interesse em complementar essas iniciativas? Há clubes que demonstram interesse, mas na maior parte dos casos pretendem exclusivamente praticar tiro. Outrossim, existe a necessidade de se formar mais atiradores de tiro olímpico porque é esse o nosso fundamento. Temos que evitar cair na situação desagradável de ter apenas pessoas que querem ter acesso a armas sem ter preocupação de participar em competições ou melhorar as suas prestações desportivas.O que acha da montagem do percurso?A montagem do percurso requer uma visão muito cautelosa por parte do responsável, pois devem ser observadas, regras de segurança, principalmente com relação a direcção do tiro, com a posição de espera por parte do atirador, evitando que se volte para o público que assiste a prova.Acredita na potencialidade da modalidade?Acredito que a modalidade de tiro tem um potencial muito grande. Espero que, com as competições realizadas, outros clubes sejam motivados a criar boas provas, aumentar o número de atiradores, melhorar as premiacções, que possamos popularizar e dar um bom desenvolvimento no tiro desportivo angolano -.Onde compra artigos para pratica do tiro desportivo?O meu pai compra no exterior e pela Internet.Que conselho daria para quem e jovem como você e tem vontade de praticar este belo desporto?Ter responsabilidade, estudar, procurar um bom treinador e local seguro para a pratica do tiro."Gosta de treinar"Os impulsos necessários à vitória devem partir do treinador. A ele compete preparar seus "pupilos" para a competição, motivando-os para a vitória e programando sua actuação. Para isso, é necessário uma boa dose de conhecimentos humanos, boas qualidades de liderança e muitos conhecimentos do assunto. Fazem-se grandes exigências ao seu desempenho, mas, infelizmente, existem ainda poucos treinadores capazes de atendê-los. Costa Chaves, pai e treinador do atirador Anthony diz que tratar todos os atiradores da mesma forma é o mandamento principal. "Desenvolvo um plano de treinamento individual para ele, cuidando para que o mesmo seja cumprido, bem como, exijo do atirador apenas que atire da melhor forma possível, mantendo afastados todos os demais problemas", disse. O treinador assegurou que a sua aposta em Anthony foi acertada, tanto nos "mandamentos" quanto no modelo. Dentre outras "verdades," ele afirma que "só é campeão aquele que gosta de treinar".Quem é quem...Nome: Anthony Luís da Costa Duarte ChavesData de Nascimento: 18/4/ 1996Naturalidade: África do SulNacionalidade: AngolanaAltura: 1,70 mPeso: 48 KGClube: Interclube Modalidade: Tiro aos PratosTabaco: NãoBebida: SumosNúmero de calçados: 41Música: Pop Hobby: Leituras e desporto Prato preferido: Bacalhau com natasCor preferida: Vermelho Religião: Católica Calor ou Cacimbo: Calor Filmes: AcçãoPaís: África do SulCidade: ParisEstuda: 8ª Classe do ensino privadoUm sonho a realizar: Ser um grande atirador