Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Sérgio Matos quer girabola

Avelino Umba - 31 de Agosto, 2010

Sérgio Ramos sonha jogar no girabola 2011

Fotografia: Adolfo Dumbo

Que avaliação faz do grupo que dirige e a sua participação na Segundona?
É uma equipa nova que disputa o apuramento e muitas pessoas não acreditavam no nosso trabalho.Hoje, os frutos começam a ser vistos, o que merece admiração dos cépticos.A Baixa de Cassange é candidata ao título, tendo em conta o trabalho que desenvolvemos.Estamos com nove pontos, não distantes do pódio.

E na corrida para o Girabola´2011?
A Baixa de Cassange é um clube da província de Malange com objectivos iguais aos das outras equipas: ascensão ao Girabola. Estamos numa empreitada e não podemos decepcionar a massa associativa da província.Quando vim para o clube, o presidente questionou-me sobre os meus objectivos. A minha resposta foi peremptória: ascensão ao Girabola’2011. Sendo essa a aposta, não temos outras razões para baixar os braços. Vamos continuar a trabalhar para a concretização do desiderato.

O que lhe dá garantias para assumir um discurso vencedor?
Se fizermos uma comparação possível com o 1º de Agosto, podemos referir que meses atrás esteve em 10º lugar na tabela classificativa do Girabola’2010 e hoje é uma equipa que recupera satisfatoriamente e pode fazer grandes surpresas.
Isso não responde à nossa pergunta...A minha agenda está totalmente preenchida de projectos que são segredo.

Que dificuldades podem perigar o bom ritmo do grupo?
Dificuldades nunca faltam, pois a vida é uma dinâmica.Como humanos que somos, cada um tem os seus problemas. Muitas vezes, nos jogos, somos obrigados a elevar o pensamento para fazer coisas boas.Na verdade, temos vindo a superar.

Então acredita mesmo na ascensão ao Girabola’ 2011?
Conheço bem as coisas relacionadas com o desempenho das minhas funções.Neste momento, sei o que está bem e o que está mal. Fiz os cálculos, falei com os atletas, sei o que está na forja dentro da equipa, o que me garante o segundo lugar, no mínimo, para discutir a terceira vaga. Tenho as minhas convicções, pois a série A, na qual nos encontramos, não é tão fácil como as pessoas pensam. É uma série difícil, mas acredito no meu trabalho.Fui contratado para levar a equipa ao Girabola’2011, embora não seja pessoa de menosprezar o trabalho dos outros. Somos todos profissionais e temos os mesmos objectivos.

Que apoios recebem das instituições e empresas da província?
O presidente do clube, João José Rafael "Almeida", a quem agradeço, é o responsável por todo o apoio e carinho que a equipa recebe.

Que estratégia se deve adoptar para que a sua equipa se imponha?
No passado dia 16 de Agosto, a equipa deslocou-se a Luanda, onde defrontou o Progresso Associação do Sambizanga, que culminou com derrota de 0-1 no Estádio da Cidadela.Quem viu o jogo, está ciente que o Progresso não esteve superior à Baixa de Cassange.Os sambilas passaram por muitas dificuldades.De igual modo, no passado dia 21 de Agosto, recebemos em casa o Domant FC do Bengo, que foi derrotado por 2-0.Isso é para dizer que nos impusemos diante de equipas consideradas grandes.O Jogo com o Progresso do Sambizanga, na segunda volta, em nossa casa, não vai ser fácil, mas, cá em casa, mandamos nós.

Os resultados positivos
fazem as boas relações


Como veio para a Baixa de Cassange?
Vim no ano findo para uma tentativa de participar na Liguilha, mas foi uma situação que não deu certo. Encontrei a equipa numa fase menos boa e não fomos bem sucedidos.A equipa voltou a competir no campeonato provincial e hoje disputa a Segundona.

Estava desempregado ou veio mesmo por opção?
Sou treinador há 17 anos, com destaque para a liderança técnica do Estrela de Angola, em 2001.A minha vinda para a Baixa de Cassange não se deveu ao desemprego, mas a uma opção. Do ponto de vista profissional, cada um vai para onde achar conveniente e se sinta bem.

Por quanto tempo assinou?
Por uma época e não sei se haverá renovação.Tudo depende do diálogo entre as duas partes.

Tem sido assediado por outras equipas?
Isso não falta, devido ao trabalho desenvolvido nesta equipa. Todo o profissional gosta de estar onde se sente bem. Neste momento, não tenho razões de queixa na Baixa de Cassange. O contrato satisfaz-me. Acredito que após a ascensão ao Girabola’2011, possa ser revisto.

Estão inclusas as rendas de casa e outros subsídios?
Por razões óbvias, não sou muito de falar a esse respeito.

Como são as suas relações com a direcção do Clube?
Até ao momento, as relações são excelentes.O que faz as boas relações entre os treinadores e as direcções do clube são os resultados.O meu desempenho é aceitável e agrada à direcção.Neste campeonato, ainda temos muito pela frente e nada nos vai impossibilitar de atingir os nossos objectivos.

Está ciente dos erros que comete?
Tendo em conta o tempo de trabalho como treinador profissional, defini um estilo próprio de resolver as minhas falhas, pois seria deselegante, se dissesse que não existem.

Como técnico de futebol, que avaliação faz do trabalho do treinador francês Hervè Renard à frente da Selecção Nacional?
É um técnico jovem com muitas ambições e faz um trabalho positivo. Precisa de mais tempo para fazer aquilo que sabe fazer.

Uma palavra para as entidades na província que superintendem o desporto...
Se o Governo Provincial, na pessoa do Governador, e os empresários locais acreditarem no desenvolvimento do trabalho exercido nos clubes, Malange pode ter uma equipa no Girabola e permanecer durante muitas épocas.Os apoios financeiros e de equipamentos são necessários para que as equipas superem algumas dificuldades com que se debatem.Outrossim, não seria demais apelar ao público malangino para que apoie a Baixa de Cassange. Embora seja um clube de iniciativa privada, é uma colectividade desta região e, se as pessoas colectivas e singulares a apoiarem, podemos atingir o protagonismo e igualar as equipas de Luanda ou de outras regiões do país.   

Por dentro

Nome: Sérmio Moisés Massa
Data de Nascimento: 6/6/1966
Naturalidade: Chitato
Província: Lunda-Norte 
Nacionalidade: Angolana
Estado civil: Casado
Filhos: Dois
Altura: 1,73
Peso: 102
Clube: ASA
Desporto ideal: futebol
Tabaco: Não
Bebida: Sumos e água
Número de calçado: 43
Música: Semba
Princesa encantada: Esposa 
Prato preferido: Funge de calulú
Religião: Protestante
Cor: Azul
Droga: Contra
Poligamia: Contra
Filme: Aventura
Calor ou cacimbo? Cacimbo
Esplanada ou discoteca? Esplanada
Boleia ou volante: Volante
País: Canadá