Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Somos a claque oficial do clube

Sardinha Teixeira - 19 de Novembro, 2011

Massunguna Rafael, vice-presidente da CKP

Fotografia: Jos Soares

Como surgiu a claque?
-
A claque surgiu devido à necessidade de um grupo de jovens em combater o silêncio que se vivia nos estádios. Na altura a direcção do Kabuscorp pôs o lugar à disposição na esperança que aparecesse alguém que pudesse levar o projecto avante. Assim, e após uma época de silêncio absoluto, e outra em que existiu um pequeno grupo de adeptos que entoavam um cântico ou outro de vez em quando, surgiram núcleos em todos os bairros.

A claque é composta por quantos elementos?
- Actualmente tem cerca de 5000 elementos só em Luanda, contando com os inscritos e outras inscrições que vão entrar brevemente.

Qual o seu principal objectivo?
- Ter o Kabuscorp na primeira divisão. Damos todo o apoio possível e impossível. Somos a claque oficial do clube.

Existem muitos jovens na claque?
- Todos são jovens. Ainda há pouco estive a falar com um membro, que fazia o seu aniversário, dos mais importantes da claque e que considero o meu braço direito e ele falava que tinha 28 anos. Foi então que lhe disse que eu com mais 10 anos me considerava jovem, ele com menos idade estava ainda mais jovem. É uma claque totalmente jovem e cheia de energia.

Qual é a postura que a claque pretende adoptar nas bancadas?
- Acima de tudo, o que tentamos incutir a todos os elementos que entrem no grupo é uma postura de apoio absoluto e incondicional ao Kabuscorp. Ao mesmo tempo pretendemos também que os membros desenvolvam laços entre si de forma a criarmos um grupo verdadeiramente unido. Felizmente, penso que essa mensagem tem sido passada correctamente. Aliás, o grupo está em crescimento e até agora penso que só temos motivos de orgulho no que toca à nossa postura.

A claque tem sido criticada por alguns adeptos, chegando ao ponto de ser posta em causa a vossa utilidade para o clube. De que forma tem lidado com isso?
- Bom, essa é uma situação que nos tem deixado algo desgostosos e que motivou mesmo a necessidade da publicação de um esclarecimento, da minha parte. Penso que a confusão passa pelo facto de haver pessoas que não conseguem, pura e simplesmente, separar as águas. Ou pelo menos quero acreditar que seja isso e não apenas falar mal por falar. Agora acho que merecemos ser respeitados, ao invés de recebermos críticas destrutivas, pois fazemos algo nos campos que mais ninguém faz, dar a cara no apoio ao clube.

Qual tem sido a postura do clube perante a claque?
- O clube recebeu-nos de abraços abertos desde a primeira hora. A direcção mostrou interesse em conhecer o nosso projecto e disponibilizou-se para nos ajudar, dentro do que eles acham razoável. Penso que toda a gente se sentia incomodada com o silêncio  nos campos de futebol.

No entanto, as claques são muitas vezes um meio de aproximar os clubes dos jovens entre outros. Existem projectos na claque que visem apoiar o clube no seu crescimento?
- Obviamente que sim. Estamos a trabalhar no sentido de  aproximar os jovens do bairro ao clube. Medidas estudadas tais como: fazer uma propaganda forte e permanente, ao nível das escolas secundárias do bairro, pois temos elementos dentro desse meio.

Que tipo de materiais usam?
Dentre os materiais utilizados pela claque durante os jogos estão as bandeiras de grande porte (4x4 metros) e fogos-de-artifícios. Muitas das bandeiras contêm algum símbolo ou frase relacionada oficialmente ao clube.

É difícil controlar os excessos?
- Hoje é um bocado difícil controlar os excessos, registados nos estádios. Aliás, tenho tentado acalmar toda a gente e não apenas elementos das claques. Gerir muitas emoções é complicado.

Uma mensagem a claque?
- A única mensagem que queria deixar era a de compromisso com o Kabuscorp do Palanca, prometendo muita luta e empenho para sermos mais e melhores.

»»» Quem é quem

Nome: Massunguna Rafael
Data de nascimento: 18/2/1978
Natural: Uíje
Nacionalidade: Angolana
Clube: Kabuscorp do Palanca
Função: Vice-presidente da claque do Kabuscorp do Palanca
Peso: 70 kg
Altura: 1,70 cm
Calçado: 41
Prato preferido: Calulú
Fuma: Não
Bebida: Sumos naturais
Filmes: Acção
Música: Semba
Droga: Contra
Melhor país: Angola
Melhor cidade: Uíje
Casa própria: Sim
Carro: Sim
Esplanada ou discoteca: Esplanada
Campo/Praia: Campo
Cor: Vermelha
Tempos livres: Música e ver TV