Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"Sou um piloto com sede de conquistas no motocross"

Hermnio Fontes - 05 de Fevereiro, 2013

Branquinho Pina, , nesta altura, um dos novos rostos da modalidade com mais visibilidade do Ncleo da Viana de Motocross

Fotografia: Jornal dos Desportos

Luís Miguel de Pina, conhecido no motocross como Branquinho Pina, é, nesta altura, um dos novos rostos da modalidade com mais visibilidade do Núcleo da Viana de Motocross. Optimista, continua a lutar por melhor as suas classificações nas competições nacionais no intuito de ganhar mais confiança para representar o país a nível internacional. Nos dez anos de carreira na classe dos 150cc, procurou sempre o melhor para si e para a sua equipa. O título de vice-campeão foi o máximo, até agora, conseguido por ele naquela categoria. Na classe 250cc, já com máquinas de maior cilindrada, conseguiu igualmente subir ao pódio com um terceiro lugar, pelo que continua motivado a treinar mais, para atingir outros patamares.Branquinho Pina, à semelhança dos outros motards da nossa praça, enfrenta o seu maior handicap com a carência de meios técnicos no nosso mercado motociclista que, vezes sem conta, acarretam inúmeras dificuldades na preparação geral. O motociclista alerta as novas gerações que para se ser bom praticante é necessário uma boa e regrada alimentação e ter um comportamento salutar, segundo as exigências de um piloto de motocross, ou seja, não perder noites de sono e consumir bebidas alcoólicas em excesso.

Amigos não
o deixam ficar mal

Pina Branquinho, ou “B13”, tem sido beneficiado por algumas almas caridosas. como Mário Santiago “Kikas”, um amigo de longo data  que não se preocupa apenas com ele em particular, mas com o Motocross duma forma geral. Outra prestimosa ajuda tem sido dada pelo Núcleo de Viana de Motocross. A própria Associação Provincial de Motocross de Luanda, chegou a oferecer-lhe uma motorizada que é, actualmente, o único meio com que tem contado para a preparação e para as competições do calendário oficial de provas da modalidade, individualidades e instituições que reconhece e às quais agradece. Aos apoios materiais, Luís Pina junta os conselhos sábios e experientes dos “gigantes” do motrocross angolano, como Carlos Soweto, Xuxu, Talaia e Carlos Moreira. Na ausência de um treinador para o acompanhar durante os treinos, o motociclista do Núcleo da Viana recorre a vídeos da Internet para melhorar a sua prestação. *COM JOÃO FRANCISCO

SONHO
Quero ver a modalidade em todos clubes

Enquanto piloto de motocross, B13 sonha um dia ver as grandes agremiações desportivas do país - Petro de Luanda, 1º de Agosto, Interclube, Progresso e Kabuscorp do Palanca - a albergarem departamentos de motocross. Neste momento, é um desafio que também lança a quem de direito. O corredor, de 24 anos, considera que a modalidade pode crescer ainda mais no país. “Já é hora de se seguir os exemplos de países que no pacote de modalidades incluem também o motocross”, afirma. “Quero com isto dizer que os pilotos profissionais estão abertos a uma parceria com os grandes clubes do país. Tudo porque o motocross é uma modalidade radical, animadora e que facilmente atrai adeptos ”, desafia. Em seu entender, se por acaso um destes emblemas nacionais apostar na modalidade, mais cedo do que possa pensar-se vai ter as contrapartidas necessárias em termos de publicidade e marketing. “Quando um piloto vai para competir, se tiver um contrato assinado com um clube ou uma rede de empresários, a sua motorizada deve estar estampada com a imagem do contratante, assim como também no equipamento. Isto é marketing e ajuda, de certa forma, a vender e a divulgar as marcas no mercado nacional e internacional. Tal como acontece com a Redbull e outras marcas”, considerou.


Quantas horas treina para estar em forma?
De forma regular tenho de cumprir três horas de treino no circuito (pista) e, mais duas horas de ginásio para manter a forma física, uma vez que a modalidade que pratico exige do atleta estas duas componentes.

Quais são as garantias deste tipo de treino?
Branquinho Pina: Como piloto devo dizer que é preciso dedicação para conquistar uma classificação cada vez melhor. Este optimismo tem servido como grande antídoto, o que nos leva a treinar muitas horas durante o dia. 

Já que estamos a falar de treinos, qual é a pista ideal para si?
Branquinho Pina: O motocross é disputado na terra batida, com curvas apertadas e montes de terra, que nos permitem efectuar saltos altos e com alguma acrobacia. Esses são para mim os melhores.

por dentro

Nome completo: Luís Miguel Carvalho de Pina
Filiação: Miguel de Pina
e Joaquina Apolinário de Carvalho
Data de Nascimento: 2 de Maio 1989
Filhos: Nenhum
Estado Civil: Solteiro
Peso: 65 kg
Altura: 1,63 m
Desporto: Motocross
e outros radicais
Filmes: Acção e comédia
Hobby: Andar de moto
Religião: Católico
Bebida: Água e sumo de laranja
Perfume: Boss-spirit
Virtude: Teimoso e persistente
Casa: Não tenho
Carro: Tenho