Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Trcia Deisy: adoro jogar futsal

26 de Novembro, 2011

Trcia Deisy, a jovem de 20 anos, do clube Veteranas da Hula

Fotografia: Jornal dos Desportos

Quando começou a jogar?
- Comecei nas categorias de base da minha cidade, jogava futebol de campo e futsal, em 2005, no Clube dos Veteranos da Huíla.

Com quem praticava futsal?
- Na minha cidade natal, praticava futsal com as minhas colegas.

Quem é o seu ídolo no futsal?
- Tenho muitos ídolos no futsal.

Sempre jogou na mesma posição?
- Sim. Sou ala, desde o início até hoje.

Qual era o seu sonho quando criança?
- Ser jogadora de futebol.

Quando se estreou num campeonato de futsal?
- No final do ano de 2005.

O que é necessário para se ser uma boa jogadora de futsal?
- Ter muito amor ao que se faz. Adoro jogar futsal. A modalidade ainda não tem total apoio da comunicação social, ainda falta alguma coisa, portanto, para se ser bom ou fazer bem o trabalho é necessário dedicação e amor.

Como chegou à sua actual equipa?
- Em 2005 fizemos um bom trabalho. Nunca saí da equipa pela história do clube e escolhi muito bem.

Inspirou-se em alguém?
- Sim, nos meus tios, primos e sobrinhos. Sou de uma família totalmente desportista.

Acredita que vai ter uma carreira de êxito?
- Não penso noutra coisa. Preciso é das oportunidades. Vou à luta, estou a recolher as minhas armas, que é para quando falarem de mim só poderem dizer que tenho o cabelo curto e o nariz grande.

Qual é o seu segredo para manter o nível físico?
- Cuido-me bastante, sou uma pessoa que procura trabalhar em cima do que os profissionais me passam, cuido-me muito, dentro e fora de campo.

Que tipo de treino pode melhorar os reflexos dos movimentos?
- Todo o treino ajuda, tanto o físico como o táctico e ainda os específicos.

Houve algum jogo inesquecível?
- Final dos jogos inter-regionais. Ganhámos à formação do Ango Alisar de Benguela e fui considerada a melhor jogadora, com 30 golos marcados.

O pior jogo?
- Quando perdemos frente ao XMX de Luanda, quando esta equipa não era superior à nossa.

Nunca procurou outro clube?
- Com certeza. Continuo a jogar, sou uma pessoa muito acarinhada, tenho as portas abertas no clube Veteranas da Huíla.

Qual é a importância da família na sua carreira?
- É tudo para mim. Não sei viver sem a minha família e graças à força que ela me dá tenho, a cada dia, mais coragem de vencer na vida.

O que gosta de fazer nas horas de lazer?
- Vivo para os amigos e para a família. Curto ainda mais o futsal.

O que espera de 2011?
- Que seja o ano da superação. Que Deus me ilumine e que possa voltar a ajudar a minha equipa da melhor forma possível, como sempre fiz.

O que falta para o futsal avançar mais?
- Organização e muito estudo. Existem inúmeras acções que podiam tornar-nos mais fortes. Somos ainda muito práticos e não fundamentamos muito bem nossas trajectórias, muitos chegam e nem sabe como chegaram.

Se não fosse jogadora, o que era?
- Apresentadora de um programa televisivo

Em toda esta trajectória fez amigos? Pode referi-los?
- Prefiro não referir, porque fiz muitos amigos e posso esquecer alguém.

Quais os conselhos que deixa para os jovens que estão a começar carreira no futsal?
- Humildade e honestidade são primordiais

Alguma consideração final?
- Só quero agradecer do fundo do meu coração à minha família e aos meus amigos pela grande força durante a minha recuperação e desejar-lhes um feliz Natal e ano novo próspero.

Por dentro

Nome: Tárcia Deisy Salvador dos Santos
Data de nascimento: 25/2/91
Filhos: Não
Estado civil: Solteira
Nacionalidade: Angolana
Peso: 52 kg
Altura: 1,61 cm
Modalidade: Futebol de salão
Posição: Ala
Clube: Veteranas da Huíla
Prato preferido: Cachupa
Fuma: Não
Bebe: Sumos naturais
Numero de calçado: 39
Conduz: Sim
Casa própria: Não
Filmes: Acção
Religião: Católica
Música: House Music
País: Angola
Cidade: Lubango
Gosta mais da praia ou piscina: Praia
Qual a cor favorita: Branco
Maior sonho: Ser uma jogadora profissional
O que mais detesta: Mentiras