Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Temos de saber esperar pela nossa vez

Augusto Fernandes com, João Francisco - 19 de Novembro, 2012

Kilamú começou a dar nas vistas como futebolista aos 14 anos de idade no Kinaxixi como ponta de lança na sua equipa de bairro

Fotografia: Jornal dos Desportos

Kilamú começou a dar nas vistas como futebolista aos 14 anos de idade no Kinaxixi como ponta de lança na sua equipa de bairro. Teve inicialmente a companhia de Marcos (que viria a jogar mais tarde pelo Sagrada Esperança da Lunda-Norte), Manucho, Bruno, Landinho.Neste mesmo período alternava o ataque com o meio-campo fazendo bem as duas funções. “O Marcos foi a pessoa que mais força me deu”, começou por confessar Kilamú, que em 2006 se mudou com a família para a Luanda-Sul e continuou a jogar futebol de bairro naquelas paragens.

Certa ocasião, decidiu tentar a sorte no Desportivo de Viana, equipa que participava no Girabairro Taça do Presidente. “Quando cheguei ao Desportivo de Viana, o treinador era o Mister Tony. Por ser muito veloz, o mister pôs-me a jogar a lateral direito. Fiquei muito indignado, porque o que eu queria mesmo era ser ponta de lança e marcar os meus golos”, recordou o jogador a actuar na sua primeira equipa oficial.Kilamú não gostou da nova posição que lhe foi imposta e foi “queimando” o banco, e por vezes nem sequer era convocado. Ao fim de algum tempo, um amigo aconselhou-o a jogar numa posição que ele gostasse.

Como de quando em vez, gostava de jogar à baliza e saía-se bem, pediu ao treinador para jogar como guarda-redes. “No primeiro jogo que fiz na minha nova posição (Guarda-redes), a nossa equipa perdeu por duas bolas a uma (2-1), mas eu fiz uma grande exibição e impedi que levássemos uma goleada”, recorda, com satisfação.

Experiência no ASA
A partir daquela data, Kilamú começou a ganhar fama como guarda-redes e os seus dotes não passaram despercebidos do Kota Pumpa, amigo de Kanka, treinador dos guarda-redes  do ASA. O “olheiro” Pumpa falou com o ex guarda-redes do clube do aeroporto e fez com que o Kilamú fosse tentar a sua sorte nos Juvenis do ASA. “Fui muito bem recebido pelos meus novos companheiros no ASA e não tive  muitas dificuldades em me adaptar às novas amizades”, disse ao entrar na sua segunda equipa oficial.

Como o campeonato provincial já estava a meio, não foi possível inscrevê-lo e ficou adiada para a época seguinte. Insatisfeito com a situação, Kilamú regressou ao seu clube de Viana. Porém, antes disso, um dos adjuntos do francês Hervé Renard, antigo seleccionador nacional dos Palancas Negras e campeão africano no CAN 2011 pela Zâmbia, onde continuou a treinar a equipa para o CAN da África do Sul no ano seguinte, que estava a sondar alguns jogadores para a selecção de sub-17 e ficou muito impressionado com o seu trabalho e fez questão de o levar. No entanto, como não estava oficialmente inscrito em nenhum clube, perdeu a primeira oportunidade de vestir a camisola da selecção nacional.

Contrariedades
no Kabuscorp


Mingo Jacinto, actual director para o futebol do grémio do Palanca, depois de já ter visto Kilamú a jogar, ficou muito impressionado com  a actuação do jogador e prometeu-lhe leve-lo para o Bravos do Maquis, onde na altura estava.Por ironia do destino, Mingo Jacinto já não regressou ao Moxico e, com a sua ida para o Kabuscorp do Palanca, Kilamú teve as portas abertas para representar os juniores de Bento Kangamba.

Já no seu novo clube, em 2010, onde encontrou o Kibeixa, Benzema, Nany, Mendonça, Guerra, Lama e Sena, treinados pelo mister Kembua, Kilamu teve dificuldades em adaptar-se à equipa, porque a maior parte dos novos companheiros falava Lingala, mas com o tempo as coisas foram mudando e conseguiu sobreviver, segundo o próprio jogador. No Kabuscorp, Kilamú tinha de trabalhar muito para conseguir a titularidade e o treinador exigia muito dele. Tinha de mostrar o que valia para poder ser inscrito.

Quando chegou a altura da inscrição, surgiu outra grande contrariedade: Kilamú não tinha os documentos em dia. O campeonato já estava em curso e  mais uma vez ele perde uma grande oportunidade de se tornar um jogador federado. Durante mais de quatro anos seguidos a nosso estrela foi impedida de dar o seu contributo ao futebol jovem nacional deviacircunstâncias alheias à sua vontade. Este ano, finalmente, fez o seu primeiro jogo federado no campeonato provincial de juniores de Luanda, diante do Interclube, estreando-se com uma derrota de três bolas a uma (3-1).

É digno de nota que o campeonato provincial de Luanda em juniores é muito competitivo, sendo o ASA considerado o mais forte.Kilamú, vai fazendo o seu campeonato revezando outros guarda-redes, à espera de um lugar definitivo na mesma posição. Kilamú não tem pressa e sustenta que “temos de saber esperar pela nossa vez. Sou muito jovem, tenho muito que aprender. O facto de estar a treinar já com os seniores é muito importante para mim. Agora resta saber aproveitar bem as oportunidades que me forem dadas.”
“Vou jogando nos juniores e treinando com os seniores até um dia ter a primeira oportunidade para me estrear no Girabola”, concluiu.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Jornal dos Desportos -Além de futebolista o que pensa ser no futuro?
Kilamú: Penso ser engenheiro informático.

 JD - Em termos de futebol qual é a sua maior ambição?
K - Primeiro, atingir a selecção nacional, depois representar uma equipa sul-africana, porque é mais fácil chegar à Europa via África do Sul.

JD - Em sua opinião quem está em melhores condições para defender a baliza angolana no CAN de 2013?

K -O Lamá, pela experiência que tem, é a pessoa certa.

JD - Gustav Ferrín é o Homem certo para comandar os Palancas Negras?
K - O homem ainda não teve tempo para mostrar o que vale. Vamos ver nos jogos de preparação e no CAN da África do Sul.

PERFIL

Nome completo:Cláudio Samuel Pedro
Filiação: Samuel do Rosário
e Domingas Sebastião Pedro
Naturalidade e data
de nascimento:
Luanda, aos 24.05.93
Estado civil: Solteiro
Tem namorada: Tenho
Quantos filhos pensa ter: 2
Irmãos: 7
Altura: 1,75m
Peso: 70kgs
Calçado: 43
Hooby:Ouvir música e ver jogos
Prato preferido:Toda a comida bem preparada
Bebida:Gasosa
Cor:Vermelho
O que mais teme:A morte
É ciumento:Não
O que acha da mentira:Às vezes é necessária
Religião:Católica
Pessoa que mais gosta:A minha mãe
Cidade Angolana:Luanda
Sonho:Ser empresário