Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Tenho um lote de bons atletas

Avelino Umba - 23 de Agosto, 2010

Mister Lora est optimista jogar no prximo Girabola

Fotografia: Jos Soares

Que avaliação faz da situação actual da equipa?
É a possível.Domant FC é uma equipa que vem do Girabairro-Taça do Presidente; trata-se de um grupo jovem, do qual muitos jogadores nunca jogaram na alta competição, isso é, como atleta federado, e fazem-no primeira vez. Estou a gostar do conjunto e da grande expectativa que oferece aos adeptos e à massa do futebol. Espero que se mantenha e dê continuidade num bom campeonato.


Como observa a participação da equipa no Girangola?
A direcção do clube estabeleceu uma meta:fazer uma boa participação no Girangola. Caso tenhamos as portas abertas, podemos, com toda certeza, subir de divisão, em 2011. Caso contrário, continuaremos a trabalhar para que, em 2012, consigamos atingir o nosso objectivo:estar no Girabola.

Do plantel à disposição e, em função dos jogos realizados, qual dos sectores mais lhe preocupa?
Cada jogo é um jogo, pois os mesmos não são iguais.O sector que mais me preocupa é o ataque, porque a equipa cria muitas oportunidades e, às vezes, na altura de fazer o golo ou último toque, não as concretiza.Talvez os jogadores não tenham a frieza necessária.

Está a dizer que tem problemas de finalização. Como vai ultrapassá-la?
O problema não é o trabalho de finalização.A equipa cria e no momento de finalizar, os jogadores, talvez, percam a cabeça, o que muitas vezes perdem a oportunidade de fazer o golo.

Falta o homem-golo?
Com certeza.Vamos trabalhar, porque temos uma equipa, na qual todos estão em condições de jogar.Assim sendo, vamos dar continuidade ao trabalho e colmatar todas lacunas existentes no ataque.

Para além das falhas no ataque, existem outras dificuldades que possam prejudicar o bom ritmo da equipa?
Não há, porquanto recebo todo o apoio da direcção do clube, desde o material desportivo, mormente, para treinos a outros sectores.A direcção empreende todos os esforços para satisfazer as necessidades diárias do corpo técnico nas tarefas acometidas.
A corrida para o Girabola’2011 vai exigir-lhe muitos esforços, atendendo os objectivos dos adversários...
Embora exista uma equipa favorita à subida de divisão, o Progresso Associação Sambizanga, mais duas ou três que lutam para o segundo classificado, que vai disputar o jogo que dá acesso à terceira equipa, estamos a fazer o nosso campeonato. Tenho um grupo capacitado para atingirmos o objectivo pretendido.Se tudo nos correr bem, subir de divisão não será bicho de ‘sete-cabeças’.

Que garantias tem que lhe levam a acreditar na subida ao Girabola’2011?
Tenho um lote de bons atletas, embora precisemos de trabalhar em alguns aspectos, mas isso se ultrapassa ao longo de tempo.

Quais são os apoios recebidos para que tal aconteça?
Recebo elogios de adeptos e do público jogos após jogos. Para mim, é um grande apoio moral que resulta dos meus bons momentos. Outrossim, devo dizer que, para além do Progresso Associação Sambizanga, a Domante FC é a segunda equipa candidata do nosso grupo a subir de divisão.

Um dos factores essenciais numa equipa é o psicológico. Como o Domant FC está nesse sector?
Não deixa de ser uma preocupação, mas em função do que sou e pela experiência que carrego como treinador, faço o papel de psicólogo.Creio que os jogadores recebem a minha mensagem satisfatoriamente.

Qual é o seu historial como treinador?
Estou a 13 anos como treinador de futebol. Comecei no Grupo Desportivo Expresso, no qual hoje só existe a equipa de futebol feminino FAGEC. Depois transferi-me para o escalão de formação do jovem Saneamento da Rangol FC, actualmente, Sport Luanda e Benfica, no qual ascendi posteriormente a treinador-adjunto de Kito Ribeiro, na equipa sénior, em 2004, bem como nas equipas Académica do Soyo e Bravos do Maquis, entre outras.

Jogar na relva e no pelado
são as condições possíveis


Como está a preparação para o jogo com Baixa de Cassanje de Malanje?
Em função da viagem, preferi não programar nenhum jogo amistoso, pois trata-se de uma deslocação por terra e bastante cansativa. Está tudo traçado e espero dos jogadores um grande empenho no sentido de fazer um bom grande jogo e pontuar-nos com uma vitória ou empate.

Depois de ver o Baixa de Kassanje a jogar em Luanda com o Progresso, qual é o grau de dificuldade que espera?
Vou com a lição bem estudada; saber defender e sair em contra-ataque para surpreender a equipa adversária. 

Quais são os pontos fortes e fracos do adversário?
Não sou de menosprezar o adversário.Conheço o forte de alguns jogadores da Baixa de Kassanje, pois foram meus jogadores em determinadas equipas.Muitas equipas queixam-se de trabalho dos trios de arbitragem na primeira volta do campeonato.O Domant FC é a única equipa que ainda não se pronunciou sobre o trabalho dos mesmos.

Que comentário se lhe oferece fazer?
Sou um treinador daqueles que não gostam de falar da arbitragem. Espero que os meus jogadores correspondam às expectativas em campo e que façam aquilo que é regrado no jogo. Assim sendo, faço o meu trabalho da mesma forma que o homem do apito cumpre com os seus deveres para o desenvolvimento do futebol nacional

Que abordagem se lhe oferecer fazer sobre jogar em campos relvados e pelado nessa competição?
Essas são as condições de momento; são as que tenho. Hoje, não me preocupa, pois um jogador quando tem muitas debilidades técnicas no pelado, de certeza que quando vai para relva as coisas não saem bem. Se a minha equipa joga como joga no pelado, imagine-a na relva...

Relação
com o clube


Como caracteriza a sua relação com a direcção do clube?
São boas.Tenho merecido uma total confiança do presidente do clube que se manifesta de forma recíproca. Além de ser o técnico da equipa principal de futebol, também sou coordenador de futebol do clube, uma tarefa que me permite transmitir as experiências aos jogadores mais jovens.

Relativamente o seu contrato…
Acho melhor não falar muito sobre esse assunto, pois enquadra-se nas questões particulares. E a abordagem passa pelas duas partes, respectivamente, o técnico e a direcção.

Para quantas épocas assinou?
Tenho um contrato assinado para duas épocas e uma de opção.

O contrato satisfaz-lhe?
Sim.É um acordo que me leva dar o máximo na equipa.

É treinador por opção ou mereceu apoios de outras pessoas?
Acima de tudo aos dirigentes do Benfica de Luanda que me deram um apoio muito grande, especialmente, o professor Zeca Amaral, hoje treinador-adjunto da Selecção Nacional bem como o Quim Ribeiro que me deu a força necessária nessa empreitada.

Experiências profissionais

1997 - Técnico Expresso - campeão juvenil no provincial e nacional.
1998 - Técnico Saneamento Rangol FC - juvenil 4º classificado no provincial de Luanda.
1999 - Vice-campeão de Luanda e campeão nacional.
2000 - Campeão de Luanda e vice-campeão nacional.
2003 - Campeão júnior de Luanda e 3º classificado no nacional.
2004 –Treinador-adjunto sénior Benfica de Luanda. Campeão provincial e vencedor da Série A da Segundona, vencedor da Taça de Angola, fase provincial.
2005 –Treinador-adjunto FC Bravos do Maquis, vencedor da série C da Segundona.
2006 –Treinador-adjunto do FC Bravos do Maquis no Girabola.
2007- Treinador-adjunto na Académica do Kwanda (Soyo)
2010- Treinador Principal do Domant F.C.

Por dentro

Nome: Manuel de Carvalho Fortunato da Costa (Míster Lora)
Data de nascimento: 20.12.1972
Naturalidade: Rangel- Luanda
Nacionalidade: Angolana
Estado civil: Casado
Filhos: Três
Princesa encantada: Esposa
Altura: 1, 75 m
Peso: 62 Kgs
Desporto ideal: Futebol
Clube: 1º de Agosto
Prato preferido: Funji com calulu
Tabaco: Sim
Bebidas: Cerveja
Droga: Contra
Poligamia: Contra
Cor: Preta
Música: Romântica
Religião: Católica
País: África do Sul
Província: Huíla
Segue moda? Nem tanto
Calor ou cacimbo? Cacimbo
Boleia ou volante: Boleia
Filmes: Românticos