Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Tive o privilgio de ser treinado por Jos Mourinho

12 de Novembro, 2011

Hugo Marques vice-campeo do Girabola 2011

Fotografia: Jornal dos Desportos

Onde começou a jogar? 
Aos 16 anos, pertenci aos escalões de formação do Varzim de Portugal.

Por que clubes passou?
FC Porto e Gil Vicente. Na altura tive o privilégio de ser treinado por José Mourinho e Vítor Baia, na posição de guarda-redes.

Qual foi o clube onde se sentiu melhor?
Senti-me bem em todos porque sempre dei o meu máximo.

Como correu o Girabola?
Foi um grande campeonato a nível nacional, mas o mais importante foi a conquista do segundo lugar do Girabola.

Algo de negativo e positivo no campeonato?
Negativo foi o título que deixámos escapar, mas acho que no geral foi uma época muito positiva.

Considera um mérito a equipa do Palanca estar no topo do futebol nacional?
Acho, principalmente, que foi um plantel de grande qualidade e muito equilibrado em todos os sectores. Além disso, os jogadores foram muito responsáveis ao longo da época, a união e espírito de sacrifício foram as características do grupo desde o primeiro dia, sem esquecer uma equipa técnica muito rigorosa.

Vai continuar no clube?
Sim, e o futuro a Deus pertence.

Jogo que recorda como o melhor da sua carreira?
Acho que foi o jogo frente ao Petro de Luanda, no qual nos sagrámos campeões da primeira volta e foi uma alegria para todos os amantes do desporto.

Aonde pretende ainda chegar no futebol?
Quero trabalhar muito para um dia ser profissional de futebol.

Como analisa a evolução do futebol em Angola?
Tem tido uma grande evolução e a prova disso é que de ano para ano surgem novos campeões nacionais.

É uma grande responsabilidade ser titular no Kabuscorp?
Quero continuar a trabalhar para entrar nas opções do treinador, mas ser titular consegue-se com muito trabalho. Espero merecer sempre a confiança do técnico.

Há quantos anos joga no clube?
Há um ano.

Quais são os seus pontos fortes?
Corrida, resistência, remate e recuperação de bolas.

Que análise faz ao comportamento da equipa?
Após alguns jogos melhorou. É uma equipa com mais confiança.

A classificação actual traduz o real valor da equipa?
Sim, esforçámo-nos muito e obtivemos um resultado positivo.

Achas que a equipa podia render mais?
Penso que sim. Faltou-nos o factor sorte na recta final do campeonato nacional.

Qual o espírito do grupo actualmente?
Estamos unidos para tentar alcançar o número máximo de vitórias na próxima temporada. Acho que a equipa tem grandes reacções e marcaremos muitos golos graças à linha atacante e à força de vontade de toda a equipa.

Que opinião tem do trabalho da equipa técnica?
A equipa técnica tem feito um bom trabalho a todos os níveis.

Como se sente após uma partida em que brilhou tanto?
Saio feliz, satisfeito e com a sensação de dever cumprido.

A equipa sente a falta de apoio dos seus adeptos. Eles deviam dar mais apoio?
É essencial  o apoio dos adeptos numa equipa. É sinal que gostam da equipa, do clube e do futebol. No entanto, os campos precisam de estar sempre cheios. É necessário chamar as pessoas.

Qual é a importância da sua família?
A minha família sempre esteve do meu lado, ajuda-me muito. Sou-lhes grato por isso.

Por dentro

Nome: Hugo Miguel Barreto Henriques Marques
Data de nascimento: 15/1/80
Filhos: 2
Estado civil: Solteiro
Nacionalidade: Luso angolano
Peso: 87 Kg
Altura: 1,92 m
Modalidade: Futebol
Posição: Guarda-redes
Clube: Kabuscorp do Palanca
Prato preferido: Como todo o  tipo de comida
Fuma: Não
Bebe: Vinho
Numero de calçado: 46
Conduz: Sim
Casa própria: Sim
Filmes: Acção
Religião: Católica
Música: Semba
País: Portugal
Cidade: Luanda
Gosta mais de praia ou piscina: Praia
Qual a cor favorita: Branca
Maior sonho: Ser o melhor guarda-redes de todos os tempos
O que mais detesta: Mentiras