Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"Todos devem contribuir para o progresso do nosso futebol"

Augusto Fernandes - 23 de Maio, 2013

Kota Frikiki representou o Benfica de Kinzau, Beleneses do Ambrizete e Santos Dinises de N´dalatando ( Kuanza Norte), onde se sagrou uma vez campeão distrital de Luanda.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Considerado um dos fundadores do Juventude Unida do Bairro Alfredo (JUBA), José Narciso Ferreira, 66 anos, mais conhecido nos meios futebolísticos por Frikiki , notabilizou-se como jogador muito disciplinado tacticamente, habilidoso e polivalente, especialmente na ala esquerda onde fazia com constância o sobe e desce.

Kota Frikiki representou o Benfica de Kinzau, Beleneses do Ambrizete e Santos Dinises de N´dalatando ( Kuanza Norte), onde se sagrou  uma vez campeão distrital de Luanda.

Contemporâneo de Zeca Evangelho, Ginguma, Augusto Pedro, Job Canga, Sebinhas,  e muitos outros, actualmente José Ferreira, faz parte do elenco do programa “voz dos Kotas” da Rádio 5, canal radiofónico especializado do grupo Rádio Nacional que desde a semana passada passou a ser emitido em todas as provinciais, com pontapé de saída em Benguela. 

Como futebolista, Frikiki começou a jogar futebol por volta dos seus 10 anos de idade no bairro Alfredo, no muceque Mota, actual Sambizanga, ali na zona da rua da frescura em companhia de Sebinhas, José Castelo, Moisés e Job Kanga, Augusto Pedro, Ginguma e outros, nos tempos das bolas de saco, de borracha, de meias e até de trapos.

Em 1960, Frikiki transferiu-se para os juvenis do Ferroviário de Luanda, que na altura era treinado por Óscar Pires  onde  foi companheiro de Caseiro, Inglês, Óscar, Rogério, Brito de Castro, Resende e outros.

“ O Bairro Sambizanga teve sempre grandes clubes. Os primeiros foram os 11 Bravos de Kinzau e o Académica do Ambrizete. Da fusão destes dois clubes nasceu o Benfica de Kinzau.

Posteriormente surgiram vários clubes como o Benfica do Ambrizete, Botafogo, Atlético do Ambrizete, Ginásio Futebol Clube, onde jogou o Mário Santiago, José Eduardo dos Santos (o Presidente da Republica), Loy, e outros que fizeram historia “, revelou ainda. Já com idade de juniores, isto em 1964, foi jogar para as reservas do Benfica do Kinzau, de entre outros com Zeca Evangelho, Augusto Pedro, Kadá e Ginguma. Mas, foi no JUBA que Frikiki ,  se  notabilizou como grande jogador de futebol.

 “O Juba é o resultado da fusão de jogadores vindos do Académica do Ambrizate e do Benfica do Kinzau e foi fundado em 1967. O nome foi dado pelo falecido Zé Maria, visto que naquele tempo havia também o Juva (Juventude Unida da Vila Alice).

Todos nós apoiamos a ideia e assim nasceu o nosso famoso Juba, que de entre outros contava com jogadores como o Ginguma, Augusto Pedro, Zeca Evangelho, José Castelo, Chico Santos, Calás, Sebinho, Job Canga e Eu. Estes são os fundadores do Juba” conta.      
COM  JOÃO FRANCISCO

CURIOSIDADES
“JUBA teve uma única
 vitória nos torneios CUCA”

De 1968 a 1974, o Juba participou em todos os torneios Cuca, que normalmente era disputado no campo de São Paulo, ganhou apenas uma vez em 1972.

“Na final do torneio jogamos contra o Cazenga de Maventa e outros e ao cabo dos noventa minutos estávamos empatados (0-0). Então recorreu-se à marcação de grandes penalidades para se encontrar o vencedor. Só depois de vinte penaltes por cada equipa é que se encontrou o vencedor porque o Cazenga falhou um e nós marcamos todos.

O resultado final foi de 20 para o Juba e 19 para o Cazenga”, recorda-se. Com aquela conquista o Juba sagrou-se pela primeira e única vez campeão distrital de Luanda. Este título deu  direito a disputar a fase inter-provincial  que normalmente eram disputadas por duas equipas de Luanda, uma de Benguela e outra do Huambo.

“ Nas preliminares jogamos contra o Andorinhas da Calomanda de Benguela, isto se a memória não me atraiçoa e vencemos por (5-2 ) e o Cazenga venceu o representante do Huambo. Por isso na final do Inter – Provincial (hoje equivalente a fase nacional) voltamos a jogar contra o Cazenga e perdemos por 7-2”, friosu.

Segundo o Kota Frikiki uma das equipas mais fortes de Angola, na altura,  era o Portugal de Benguela(hoje Nacional de Benguela) com jogadores como  Malta da Silva, Valongo, Januário Candengandenga e outros.             
COM -João Francisco


OUTRAS EXPERIÊNCIAS
Antigo treinador
e dirigente desportivo


Para Frikiki, em termos de jogadores tínhamos muitas estrelas com destaque  para o Dinis, Ramalhoso, Almeida, os manos Lara, Gomes, Manos Kakas, Eduardo João Prado e muitos outros. Eram jogadores que realmente faziam a diferença e que dificilmente veremos iguais   em Angola.

Ainda em 1972, Firikiki, foi  chamado a cumprir o serviço militar e em N´dalatando, onde jogou pelo Santos Dinizes, posteriormente como funcionário  da JAIA, no Ambrizete, representou o Belenenses local com o qual sagrou-se duas vezes campeão distrital.

Em 1993, Frikiki fez um curso de treinador de futebol aqui em Luanda com Instrutores da FIFA e em 1997 fez o curso de Dirigentes desportivos orientado por Instrutores da CAF. Nas vestes de treinador orientou apenas o Vila Estoril, clube que fundou.

Foi presidente da mesa de assembleia da Associação Provincial do Bengo de Atletismo e presidente da Associação Provincial  de Futsal da mesma Província.

José Narciso Ferreira, ou Frikiki, candidatou-se recentemente, a membro individual do Comité Olímpico Angolano (COA)  e foi eleito com 98 votos entre os quarenta e seis( 46) membros efectivos para o quadriénio   2013- 2017.                                  
COM -João Francisco


PING PONG
Elenco de Pedro Neto
fez a aposta certa


Acha que Gustavo Ferrin é o Homem certo para liderar os Palancas Negras? 
Estou solidário com a escolha que o elenco liderado pelo camarada general Pedro Neto fez. Creio que temos de apoiar o treinador dando-lhe todo o apoio possível. Ele precisa de um pouco de mais tempo para mostrar o que vale.

O que tem a dizer sobre as “chicotadas psicológicas” que temos visto no Girabola?
Deve-se dar tempo aos treinadores para que eles consigam cumprir com as metas traçadas e com os tempos de contratos firmados. Acho que tudo indica que  um treinador só deve ser “chicoteado” depois de se  provar que ele é o principal culpado do  fracasso da equipa.

Pelo andar da carruagem José Dinis poderá ter o mesmo destino no Petro de Luanda?
Tudo é possível, porque as chamadas equipas grandes querem vitórias, não importa se a equipa tem ou não condições humanas e financeiras para tal objectivo. Mas creio que a direcção do Petro vai dar um voto de confiança ao treinador.

Acha que Faquirá será capaz de satisfazer os desejos da direcção do 1º de Agosto?
Creio que esta questão está na mente da família dos Agostinos. Em minha opinião seria melhor Romeu Filemon terminar a época e depois fazer-se a substituição.

O que pode estar por detrás do mau momento do futebol angolano?
Muita coisa. No entanto creio que todos devem contribuir para o desenvolvimento do nosso futebol protegendo os recintos desportivos que existem nas comunidades.

POR DENTRO
Nome completo: José Narciso Arsénio Ferreira
Filiação: Narciso Arsénio e de Maria João Manuel
Data e local de nascimento: Luanda, aos  25 de Novembro de 1946
Estado civil: Casado
Filhos: 16
Altura: 1,80
Peso: 78 Kg
Calçado: 43
Camisola habitual: Nº 3 ou 11
Música: Kizomba e antilhana
Filmes: Far Oeste
Prato: Um bom calulú de peixe
Bebida: Sumos e água
Tabaco: Nunca
É ciumento: Nem por isso
 Recorre a mentira: só no dia das mentiras
O que mais teme na vida: A velhice
Virtude: Acho que sou sincero
Defeito: Não sei perder
Acredita em Deus: Sem dúvidas
Pais de sonho: Portugal
Clube do coração: Em Angola o Progresso, em Portugal o Benfica

COM -João Francisco