Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Um exemplo de superação no desporto adaptado

João Francisco On-Line - 09 de Fevereiro, 2013

Manuel Francisco “Nelito” é dos poucos atletas veteranos que se tem inscrito nas provas de atletismo da classe T 46

Fotografia: Jornal dos Desportos

É dos poucos atletas veteranos que se tem inscrito nas provas de atletismo da classe T 46 (amputado de membro superior) organizadas pelo Comité Paralímpico Angolano (CPA). Ex-militar, esteve durante largos anos destacado na província do Kuando-Kubango, onde perdeu o braço esquerdo, Manuel Francisco “Nelito” é um exemplo de superação pelo desporto. Manuel Francisco teve o seu braço esquerdo amputado após ter sido alvejado em 1987. Nessa condição, foi desmobilizado no ano seguinte, mas manteve o hábito de fazer exercícios físicos, ganho enquanto militar. No ano 2000, passou a encarar essa prática como uma porta para a competição desportiva.

“A minha primeira prova aconteceu em 2001, no Lubango, em que corri nos 100 e 200 metros, quando ainda não sabia que as minhas reais capacidades não estavam nas provas de velocidade, mas nas de resistência de cinco e 10 km, que passei a fazer, depois de alertado pelo mister Quintino Caprego, que continua até agora a acompanhar-me nas provas”, revelou.

BARRACA
NO MERCADO

Manuel Francisco contou que em 2003 venceu a sua primeira prova de corta-mato na distância de cinco quilómetros, disputada no Sumbe (Kwanza-Sul) e desde então tem participado nesta mesma distância e nos 10 quilómetros, na sua província e em representação desta sempre que vai disputar uma corrida de nível nacional, como aconteceu na “Fuga para a Resistência” disputada entre o Musseque Kipari e Caxito (Bengo), no passado dia 4, prova que assinalou mais um aniversário do início da Luta Armada de Libertação Nacional. Nelito alia a prática desportiva a um pequeno negócio, na sua província de origem, Kwanza-Sul. “Tenho uma barraca na pracinha do Chinho, onde vendo produtos de limpeza, cosméticos e outros pequenos artigos”, disse o antigo militar, de 51 anos, que O atleta paralímpico defende que todas as pessoas devem praticar actividade física, não importa a deficiência que tiverem, pois “o desporto é vida e saúde. Quando pratico desporto, sinto-me sempre bem-disposto e em forma para as minhas tarefas do dia-a-dia”.


A PALAVRA DO TREINADOR
Faltam apoios para o “velho” atleta

O treinador Quintino Caprego, que acompanha a carreira do atleta desde o início, refere que Manuel Francisco começou a praticar desporto desde a fundação do Comité Parlímpico Angolano (CPA), nos anos 90 e, teve um ligeiro interregno devido a problemas de vária ordem, inclusive financeiros. “A partir de 2006, participou em todas as provas, mas devido à idade avançada, nunca teve classificações oficiais homologadas. Contudo, participa regularmente em todas as provas organizadas pelo Comité Paralímpico Angolano”, atestou. O treinador lamentou o fraco apoio que o atleta recebe no Kwanza-Sul para participar nos eventos nacionais. “Em 2012, foi disponibilizada a módica quantia de 10 mil kwanzas, insuficiente para nos deslocarmos aos Campeonatos Nacionais disputados em Saurimo. Desde então, temos recorrido ao Clube Recreativo do Chingo para assegurarmos as nossas participações nas competições oficiais”, disse.


FUTURO
Executivo
promete apoio


O técnico Quintino Caprego referiu que Manuel Francisco tem contado com o apoio do Comité Paralímpico Angolano (CPA) em termos de alojamento, pelo que tem de se esforçar para garantir o transporte e a alimentação para poder participar nas competições oficiais. “Precisamos do apoio institucional do Governo da província do Kuanza-Sul. Neste particular, temos garantias do governador Eusébio de Brito Teixeira, que já demonstrou que vai apoiar o desporto ao organizar, no final do ano passado, uma corrida em que o desporto adaptado foi incluído, com prémios aliciantes, que vão ao encontro das nossas necessidades”, adiantou. Para o técnico, aquela iniciativa do Governo da província “leva a crer que no futuro poderemos contar com estes incentivos de que tanto necessitamos. Bem-haja!”.


Por dentro


Nome Completo:
Manuel Francisco
Filiação: Francisco Epalanga e Kilombo Namoco
Local e Data de Nascimento: Waco-Kungo (Kwanza-Sul), 25 de Janeiro de 1962
Estado Civil: Vive maritalmente
Número de Mulheres: Apenas uma
Filhos: Nenhum
Calçado: Nº 40
Prato preferido: Funji de calulu
Bebida: Refrigerante e quissângua
Hobby: Vender na pracinha do Chingo.
Cor: Amarelo e branco
Classe: T46
Cidade: Luanda e todas as cidades e municípios do Kwanza-Sul