Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Vida futebolstica de Akw retratada no 10 Angolano

Hermnio Fontes - 16 de Agosto, 2013

Consta do vdeo o golo marcado no dia 8 de Outubro de 2005 em Kigali que qualificou Angola para o Mundial da Alemanha.

Fotografia: M. Machangomgo

A vida futebolística do antigo “capitão” e goleador dos Palancas Negras, Fabrice Alcebiades Maieco “Akwá”, está retratada num DVD, já produzido, que aguarda apenas seja definição a data para a sua comercialização. O facto foi revelado há dias ao Jornal dos Desportos pelo mentor do projecto.

Intitulado “10 Angolano”, o DVD já está no país há duas semanas e, entre muitas facetas da vida do antigo “capitão” da Selecção Nacional, constam célebres momentos do jogo Rwanda – Angola, disputado a 8 de Outubro de 2005, no estádio Amahoro, em Kigali, em que Akwá foi o autor do golo da vitória (1-0) que qualificou, pela primeira vez, Angola ao Campeonato do Mundo de seniores.

O célebre golo de “pontapé à bicicleta”, marcado na final da Taça do Príncipe do Qatar, em que a sua equipa venceu a final por 2-1 (os dois golos foram marcados pelo angolano), a sua passagem pelas equipas do Sport Lisboa e Benfica, Alverca FC e Académica de Coimbra, sem esquecer o Clube Nacional de Benguela (clube que o lançou no Girabola) e a Escola de Futebol da Ecomil 2, constam igualmente no “10 Angolano”.
 
“Os golos que muitas vezes marquei, em particular o da final da Taça do Príncipe do Qatar, quando a minha equipa perdia por 1-0, também consta do DVD. Nesse jogo, marquei dois, dos quais o segundo foi um pontapé à bicicleta, e ganhámos por 2-1. De tanta emoção naquele momento saí do relvado e fui abraçar a minha família, para juntos festejarmos a conquista. A minha passagem por alguns campeonatos no estrangeiro, como em Portugal pelo Sport Lisboa e Benfica, Alverca e Académica de Coimbra, em que tive a oportunidade de mostrar o meu talento, enquanto profissional.

No Nacional de Benguela minha equipa, primeira formação desportiva que me fez estrear no Girabola, até os meus primeiros passos no mundo do futebol, na Escola de Futebol da ECOMIL 2, fazem igualmente parte do projecto”, salientou.


ORGULHO
“Faço parte da história”


O antigo “capitão” dos Palancas Negras, Fabrice Maieco “Akwá”, disse na entrevista que concedeu ao JD em relação ao DVD, esperar que os angolanos, os amantes do futebol, fãs, entendidos e estudiosos do futebol, recebam bem e partilhem com ele que se sente orgulhoso por fazer parte da história do desporto rei no país.

Devo recordar que desde o ano de 1994 a 1997 não tenho vídeos da minha passagem pelas inferiores Selecções Nacionais. Mas de 1998 para diante, aí sim, tenho os vídeos, por isso, gostava tanto de partilhar com grande apreço este documento”, sublinhou.
  
Akwá espera que o DVV seja um grande contributo para o engrandecimento do futebol nacional. O antigo craque dos Palancas Negras almeja que o mesmo sirva de incentivo às crianças e à prática da modalidade.

“Espero que seja muito, independentemente do aproveitamento que cada um tirar, portanto, só mesmo tê-lo em mão para melhor entendermos a importância deste documentário, de formas a contribuir para o engrandecimento do futebol nacional. Esperamos que com o esforço empreendido, possamos incentivar as crianças, tal como um dia, vim a gostar do desporto, em particular do futebol, e quando assim acontece, estamos a ajudar o sonho destes petizes”, avançou.    HF


CONSTATAÇÃO

“Ídolos precisam  de ser respeitados”


“Os ídolos angolanos precisam de dar valor aos seus legados, para que possam ser respeitados, quando as futuras gerações falarem desta ou daquela estrela do futebol nacional”. Foi desta forma que o antigo “capitão” dos Palancas Negras, Akwá, falou a propósito do que o motivou a projectar o DVD “10 Angolano”.
 
Para ele, o DVD que retrata a sua vida futebolística apenas é uma inovação no país, pois projectos semelhantes existentes em muitas partes do mundo, com destaque para as principais estrelas do mundo da bola.

“O que hoje faço é semelhante ao que acontece em outras partes do mundo com as estrelas do futebol. Actualmente, o mercado futebolístico já tem ou está a produzir DVD de Leonel Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar. Aqui em Angola é preciso darmos valor aquilo que é nosso”, disse.

O DVD “10 Angolano” já devia estar nas bancas faz tempo. Contudo, situações relacionadas com a actividade de Deputado que Akwá exerceu na legislatura passada, ao serviço do partido MPLA, assim como o facto de o profissional encarregue pela sua produção ter estado muito atarefado, fizeram que somente este ano o vídeo pudesse estar no mercado. “Este trabalho deveria ter sido concluído na data que foi estabelecida, mas por razões diversas, o profissional que tinha sido encarregue andava muito ocupado e também, como na altura exercia a função de Deputado à Assembleia Nacional, tinha pouco tempo para acompanhar o processo. Mas depois de deixar à casa das leis, procurei cuidadosamente encarregar-me desta questão. E hoje, graças a Deus, a obra está pronta”, sublinhou.

Akwá assegurou na entrevista ao JD que a experiência como Deputado ajudou bastante para a execução do DVD e que o mesmo, apesar de retratar a sua vida, foi feito a pensar nos angolanos.                                   HF


EM SIMULTÂNEO
Venda acontece em todo país


A venda do DVD “10 Angolano”, que ainda não tem data exacta, vai ser feita em simultâneo em todo o país, conforme garantiu ao Jornal dos Desportos, Fabrice Akwá, mentor do projecto. O antigo “capitão” da Selecção Nacional de futebol, assegurou que a produção vai colocar no mercado 40 mil cópias, que vão ser comercializadas a dois mil kwanzas.

“Ainda não temos data definida para a venda do DVD. A produção pensa colocar no mercado nos meses de Setembro ou Outubro. Pode ser no dia oito de Outubro, data em que nos qualificámos para o Mundial. Por esta razão, prometemos dentro de dias, anunciar o dia da venda. Quanto ao número de DVD, pensamos colocar no mercado apenas 40 mil cópias, por todo país. No dia marcado vou estar apenas na Praça da Família, em Luanda, enquanto nas demais províncias a minha produção já tem indicado nomes dos que me vão representar. Após o dia de venda, vou ter de visitar as províncias para autografar”, disse.

No DVD “10 Angolano” constam igualmente depoimentos de antigos companheiros de campo, técnicos, comentaristas e demais pessoas ligadas ao futebol que viram Akwá crescer como homem e futebolista.

“Neste documentário tive o auxílio de muita boa gente que admiro, tal como os meus pais, dirigentes desportivos (antigos e no activo), treinadores, como o mister Chiby, o ex-seleccionador Oliveira Gonçalves, meus irmãos, amigos de infância, colegas da bola, jornalistas, como Honorato Silva (Jornal de Angola) e Geraldo Kiala (Angop), de quem tenho muito a agradecer, sem desprimor ao contributo de outros, enfim. Todos aqueles que directa ou indirectamente estiveram associados à minha pessoa. Mas, como prioridade, são os meus depoimentos, tendo em conta o conteúdo deste projecto.                     HF


“Há condições de chegar
à fase final do CHAN”


A Selecção Nacional de futebol tem condições para chegar, pela segunda vez, à fase final do Campeonato Africano das Nações (CHAN), eliminada que está a possibilidade de marcar presença no Mundial de 2014, no Brasil. O optimismo foi manifestado ao Jornal dos Desportos pelo antigo “capitão” dos Palancas Negras, Fabrice Maieco “Akwá”.

O autor do golo que qualificou os Palancas Negras à fase final do Mundial da Alemanha, disputado em 2006, referiu que apesar da época menos conseguida, podemos sonhar com a qualificação ao certame destinado a jogadores que evoluem nos campeonatos domésticos.

 “É importante que continuemos a olhar para o futuro, ou melhor, traçar estratégias que salvaguardem a boa imagem da Selecção Nacional e atingirmos os objectivos. O CHAN espera-nos e nós podemos estar lá representados. Para tal, o colectivo precisa de estar cada vez mais unido. Ainda em relação ao CHAN, posso dizer que os Palancas Negras estão mais completos, com a vinda do Guilherme Afonso e do Flávio no Girabola. Estes dois profissionais experientes podem e muito ajudar na qualificação para a prova que se realiza na África do Sul”, assegurou. A experiência vivida em representação das selecções de Sub-20, Sub-23 e de Honras, fazem de Akwá um dos atletas com conhecimentos para contribuir para a melhoria do futebol angolano. Por esta razão, o antigo capitão dos Palancas Negras, com passagem pelo Nacional de Benguela, Petro de Luanda, Benfica de Lisboa e equipas asiáticas, solicitou o esforço de todos para que a selecção ultrapasse o mau momento que atravessa.

“Os objectivos traçados pela Selecção Nacional de futebol, reconheço, não têm sido alcançados. Infelizmente, para o Mundial de 2014, no Brasil, já não temos hipóteses. Ainda assim, não podemos parar no tempo, devemos dar o nosso contributo para que as coisas melhorem ”, apelou o craque.

O antigo goleador lamentou a eliminação dos Palancas Negras das qualificativas ao Mundial do Brasil, tendo considerado como um “balde de água fria” para os angolanos, porque, “queríamos, mais uma vez, ver a nossa selecção no maior Campeonato do Mundo”, desabafou.


GIRABOLA 2013
Elogiado nível
do campeonato


O antigo futebolista do Nacional de Benguela, Fabrice Maieco “Akwá”, disse na entrevista que concedeu ao Jornal dos Desportos que o nível competitivo do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola, evoluiu muito nos últimos anos, fruto das melhorias que se assiste nas equipas.

“O Girabola cresceu muito, as equipas têm mostrado indicadores muito fortes e convincentes no que toca ao desenvolvimento de cada uma delas. É bom saber que a cada ano que passa, o Girabola conquista o país inteiro, como, por exemplo, a conquista do campeonato por equipas que não são de Luanda. Quando assim acontece, dá-nos a entender que as equipas inscritas jogam de igual para igual com as da capital”, disse.

Atento ao Girabola 2013, o antigo atleta que representou igualmente o Petro de Luanda, referiu que muitas equipas podem surpreender nos próximos desafios. “O Girabola, que está na segunda volta, tem candidatos que tudo estão a fazer para alcançar o título, como é o caso do Kabuscorp, 1º de Agosto, FC Bravos do Maquis, Sagrada, Libolo e Interclube. Todos têm jogadores com níveis aceitáveis, o que torna o campeonato muito mais competitivo”, disse.
O antigo camisola 10 dos Palancas Negras pediu mais rigor no trabalho que se realiza nos clubes para que o futebol nacional cresça.                  HF


AVALIAÇÃO
“Kabuscorp pode ser campeão”


A regularidade com que o Kabuscorp do Palanca disputa o Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola, pode dar o primeiro título à equipa do clube presidida por Bento Kangamba. Quem o diz é o antigo “capitão” dos Palancas Negras, Fabrice Maieco “Akwá”.

Akwá sustenta que o nível competitivo dos palanquinos, aliando a diferença de pontos sobre o segundo classificado, conferem-lhe o estatuto de principal candidato à conquista do título.

 “Se olharmos para as coisas do jeito que estão, acredito que o Kabuscorp pode conquistar o título. A equipa do Palanca tem sido regular, começou o campeonato e só foi ganhando, alguns empates e ainda não perdeu. Posso dizer que até mesmo naqueles jogos em que parece ter poucas hipóteses de vencer, quer em casa, como no reduto alheio, quanto menos se espera, lá está o Kabuscorp com o seu golo a festejar a vitória, a cada jornada”, disse. Akwá considerou as vitórias sobre o FC Bravos do Maquis e o Interclube, um grande feito para a equipa do Palanca e com isto seguir para o desafio maior: à conquista do título da maior prova futebolística do país.

“A vitória em casa do FC Bravos do Maquis, quando os maquisardes estavam também confiantes no triunfo, acabou por ser um grande trunfo para o Kabuscorp, o mesmo se diz ao feito conseguido diante do Interclube”, sublinhou.  O antigo “capitão” da Selecção Nacional está convicto que os palanquinos não vão arredar pé ao desafio em causa, uma vez que a equipa mantém o melhor marcador da prova, Meyong, com dez golos, um incentivo para o próprio líder que tem igualmente outros jogadores com veia concretizadora, casos de Love Cabungula e Breco.           HF


ALERTA DO EX-“CAPITÃO”
Akwá diz que palanquinos
devem evitar erros de 2011


A conquista do título do Girabola 2013, pelo Kabuscorp do Palanca, só vai ser possível, caso a equipa treinada por Edouard Antranik não repita o erro cometido na temporada de 2011, na altura sob comando técnico do russo Victor Bondarenko, o que permitiu ao Recreativo do Libolo vencer o Campeonato Nacional.

O reparo foi feito pelo antigo “capitão” dos Palancas Negras e avançado que representou, entre outros clube, o Nacional de Benguela, Petro Atlético de Luanda e Sport Lisboa e Benfica, resulta do facto de que naquela época, o Kabuscorp ter deixado escapar a possibilidade da conquista do troféu quando restavam poucas jornadas para o fim do campeonato.   “Há dois anos, ou seja na época de 2011, o Kabuscorp estava à beira do título, mas a conquista recaiu sobre o Recreativo do Libolo. Penso que na presente edição, os palanquinos têm tudo para cumprir com o seu objectivo”, assegurou.
O autor do único golo que carimbou a presença de Angola no Mundial da Alemanha, disputado em 2006, espera que o plantel às ordens do búlgaro Edouard Antranik saiba honrar os esforços do presidente Bento Kangamba.

“Se assim for, vai ser benéfico para honrar o próprio presidente do clube, Bento Kangamba, que muito tem feito em prol da equipa, do futebol e do desporto. A este dirigente incasável, que um dia tinha prometido vencer o Girabola, a responsabilidade da conquista está nas mãos dos seus atletas”, sustentou.      HF